Viver em Tancos II

Depois de uma instrução preliminar a nível regional tratou-se de reunir as tropas em Tancos, mas a falta de disciplina de muitas praças e a falta de liderança de muitos oficiais fez com que até a marcha até Tancos arrancasse atrasada.

| Portugal na I Grande Guerra


Depois da destruição do exército profissional monárquico em 1910, e com a conversão do exército em "povo em armas" a capacidade militar estava seriamente comprometida.

Mas com a ajuda de alguma propaganda aqui – alguma censura acolá - foi-se construindo a ficção do "Milagre de Tancos".

Entre propaganda anti-guerrista, a relutância dos oficiais, a resistência das mulheres, lá se reuniram vinte mil homens em Tancos. Quase metade dos elementos recrutados era analfabeta vinda de uma existência rural precária.

Ilustração Portuguesa - Hemeroteca Municipal de Lisboa

Em Tancos, esperava-os uma instrução militar deficiente, sob o calor tórrido do Verão.

Cá fora falava-se no número de doentes, de incidentes vários e de infracções…

O Século - Hemeroteca de Lisboa

“Más línguas” diziam de lá: “a disciplina é a melhor – pequenas infracções dão-se em toda a parte”
Que os soldados eram um “imenso rebanho de crianças … de uma docilidade e de uma disciplina inexcedíveis”.

O Século - Hemeroteca de Lisboa

Quanto a águas inquinadas, a uma epidemia de tifo, a doentes e mesmo mortos ia recado para o jornal:
“diga lá no seu jornal que em Tancos não há mortos, nem epidemias. Só nos morreu até agora um soldado”.

Jornal o Século - Hemeroteca de Lisboa

Nós cá dissemos neste jornal, mas a verdade é que há 100 anos iam versões censuradas para os jornais.


A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.