Programas tv

A VIDA AO PÉ DE NÓS - MUITO TARDE PARA FICAR SÓ

A VIDA AO PÉ DE NÓS - MUITO TARDE PARA FICAR SÓ

Géneros

  • Séries Nacionais

Informação Adicional

Um grupo de mulheres que Abril juntou e depois se separaram

Segundo as palavras de Isabel Medina, actriz e escritora que tenta pela primeira vez penetrar nos mistérios da linguagem televisiva, «Muito Tarde para Ficar só» é «um passar de olhos pela vivência de um grupo de mulheres que eram amigas na altura do 25 de Abril e que, entretanto, se separaram, construindo cada uma a sua vida».
Neste retrato de grupo em tom feminino, o destaque vai naturalmente para as quatro actrizes que dão corpo às quatro mulheres retratadas: Margarida Carpinteiro (Teresa), Maria do Céu Guerra (Joana), Maria José Pascoal (Luísa) e Teresa Madruga (Maria), que se estreia assim em Televisão depois de uma concorrida carreira (nacional e internacional) no Cinema.
Nos papéis masculinos mais em evidência, os actores José Nogueira Ramos, José Wallenstein e Pedro Jardim, sob a direcção de Luis Filipe Costa, dão luta às quatro mulheres que são a principal razão de ser deste segundo episódio de «A Vida ao Pé de Nós». A música, sempre presente neste trabalho de Filipe Costa, traz-nos à memória temas de António Pinho Vargas e Sérgio Godinho

Ficha Técnica

Título Original
A VIDA AO PÉ DE NÓS - MUITO TARDE PARA FICAR SÓ
Realização
Luís Filipe Costa