O dia em que Ramiro Soares Rodrigues "incapacitou" a fragata Sacadura Cabral

por Maria Flor Pedroso

Madrugada de 25 de abril de 1974, Base Naval do Alfeite. Na fragata Sacadura Cabral, o oficial de serviço era Ramiro Soares Rodrigues. O então primeiro-tenente recorreu ao engenho para evitar que o seu navio tomasse parte numa eventual tentativa para esmagar a revolta - e conseguiu o que pretendia.

Soares Rodrigues já tinha ouvido "E depois do Adeus" na rádio, sabia de tudo o que estava em marcha: aguardava impacientemente que as primeiras notas de "Grândola, Vila Morena" cruzassem o éter para lhe confirmar que esse seria um dia sem hipótese de retorno ao passado.

Preocupado com o papel que o seu navio poderia ter numa eventual tentativa para esmagar a revolta, o jovem oficial inventou uma falsa avaria na fragata, suficientemente grave para manter o Sacadura Cabral fundeado no Alfeite. O seu comandante aceitou estas explicações sem pestanejar.