Sondagem: PS à beira da maioria absoluta em Matosinhos

| Autárquicas 2017

A socialista Luísa Salgueiro está bem posicionada para o seu primeiro mandato à frente da Câmara de Matosinhos, com a possibilidade de obter uma maioria absoluta e eleger até seis vereadores.
|

A sondagem realizada pela Universidade Católica Portuguesa para a RTP e Antena 1 prevê a vitória do Partido Socialista em Matosinhos nas próximas eleições autárquicas. Luísa Salgueiro está bem posicionada para o seu primeiro mandato à frente da câmara e poderá mesmo conseguir a maioria absoluta. A previsão atribui-lhe 38 por cento dos votos e até seis dos 11 vereadores. Em segundo lugar surge o ex-socialista, agora candidato independente, Narciso Miranda, que poderá arrecadar até 15 por cento dos votos e eleger dois vereadores.

A sondagem da Universidade Católica Portuguesa para a RTP e Antena 1 prevê que a candidata do Partido Socialista alcance 38 por cento no escrutínio de 1 de outubro. O estudo indica que Luísa Salgueiro poderá eleger cinco ou seis vereadores, ou seja, está à beira da maioria absoluta.



Em segundo lugar surge Narciso Miranda, do movimento “Por Matosinhos”, com 15 por cento dos votos. Segue-se o agora candidato independente António Parada, do movimento “Sim!”, com 13 por cento dos votos.

O médico Jorge Magalhães é o candidato do PPD/PSD à Câmara Municipal de Matosinhos, nas eleições autárquicas de outubro. Nesta sondagem surge com 11 por cento dos votos e pode eleger um vereador.



O candidato da CDU à Câmara Municipal de Matosinhos, José Pedro Rodrigues, é licenciado em Comunicação Social. Esta sondagem atribui à CDU oito por cento dos votos e a eleição de um vereador. 



Já o Bloco de Esquerda escolheu Ferreira dos Santos como candidato. Foi fundador e dirigente do Bloco de Esquerda e é deputado municipal naquele concelho há dois mandatos. Pode obter cinco por cento dos votos.

O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) apresenta pela primeira vez uma candidatura à presidência da Câmara de Matosinhos, encabeçada por Filipe Cayolla, gestor e empresário. A sondagem realizada pela Universidade Católica Portuguesa para a RTP e Antena 1 dá-lhe dois por cento dos votos.

A confirmarem-se estes resultados, a autarquia passaria a ser liderada pela socialista Luísa Salgueiro. Em 2013, a candidatura independente de Guilherme Pinto tinha sido a força política mais votada, com 43,41 por cento. Em segundo lugar tinha ficado o PS com 25,26 por cento, à frente do PSD (9,31 por cento dos votos).

A estimativa apresentada por esta sondagem da Católica resulta de um cálculo obtido através das intenções de voto em relação ao total de votos válidos recolhidos ainda antes do início oficial da campanha. Para o efeito, são apenas considerados os inquiridos que asseguraram que vão votar no próximo dia 1 de outubro (67 por cento dos inquiridos).

Segundo os dados da intenção direta de voto, o Partido Socialista arrecada 29 por cento, ao qual se seguem o candidato independente Narciso Miranda do movimento “Por Matosinhos” e o candidato independente do movimento “Sim!”, com 11 e dez por cento, respetivamente. O candidato do PPD/PSD recolhe sete por cento das intenções de voto e a CDU cinco por cento.


 
Com um total de sete candidatos à Câmara de Matosinhos, 17 por cento dos inquiridos não sabem em quem vão votar ou não responderam à sondagem. Seis por cento declararam que vão votar branco ou nulo e nove por cento disse que não vai votar.



O resultado da sondagem vai ao encontro das expetativas da população de Matosinhos. Independentemente das intenções de voto ou preferências, 44 por cento dos eleitores acreditam que a socialista Luísa Salgueiro vai ser a vencedora das eleições. Apenas 16 por cento dos inquiridos acreditam na vitória de Narciso Miranda.



Para os eleitores de Matosinhos, a decisão de voto é influenciada sobretudo pela escolha do candidato (57 por cento). Apenas 16 por cento dá primazia ao partido ou movimento que o apoia. Catorze por cento diz que ambos são importantes na hora de votar.



Quando a pergunta é "Em que medida o facto de haver candidatos condenados em tribunal influencia a sua decisão de voto?", 50 por cento responde que influencia muito. Para 21 por cento, a condenação influencia, mas para 7 por cento, esse facto tem pouca influência. Nesta sondagem, 16 por cento dizem mesmo que este factor não influencia o voto.



O estudo de opinião da Universidade Católica destaca também que o voto no Partido Socialista prevalece nas faixas etárias a partir dos 35 anos, sendo bastante significativo nos votantes com mais de 65 anos (37 por cento dos eleitores).

Matosinhos, uma autarquia com cerca de 170 mil habitantes, tem sido um bastião socialista. Na última década, as desavenças dentro do PS têm marcado a vida política na cidade e este ano há mesmo três candidatos da família socialista. Ao todo, existem sete candidatos na corrida a Câmara Municipal.

O último mandato da autarquia fica marcado pela morte do presidente Guilherme Pinto, que durante mais de dois anos lutou contra o cancro. O atual Presidente da autarquia, Eduardo Pinheiro, naquela altura vice-presidente, ficou à frente dos destinos da câmara.

Ficha técnica da sondagem
Esta sondagem foi realizada pelo CESOP–Universidade Católica Portuguesa para a RTP e Antena 1 nos dias 23 e 24 de setembro de 2017. O universo alvo é composto pelos indivíduos com 18 ou mais anos recenseados eleitoralmente e residentes no concelho de Matosinhos. Foram selecionadas três freguesias do concelho de modo a que as médias dos resultados eleitorais das eleições autárquicas de 2009 e 2013 nesse conjunto de freguesias (ponderado o número de inquéritos a realizar em cada uma) estivessem a menos de 1% dos resultados dos cinco maiores partidos ao nível do concelho. Os domicílios em cada freguesia foram selecionados por caminho aleatório e foi inquirido em cada domicílio o próximo aniversariante recenseado eleitoralmente no concelho. Foram obtidos 1143 inquéritos válidos, sendo 57% dos inquiridos do sexo feminino. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição de eleitores residentes no concelho por sexo, escalões etários, e freguesia na base dos dados do recenseamento eleitoral e das estimativas do INE. A taxa de resposta foi de 78%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 1143 inquiridos é de 2,9%, com um nível de confiança de 95%.


* A taxa de resposta é estimada dividindo o número de inquéritos realizados pela soma das seguintes situações: inquéritos realizados; inquéritos incompletos; e recusas.

Tópicos:

2017, autárquicas, matosinhos, sondagem,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      A menos de 100 quilómetros da fronteira com a Síria, a cidade turca de Gaziantep é uma terra de tradições e sabores.

      Fotografias da autoria do artista berlinense Martin Dammann lançam luz sobre o lado mais obscuro da Wehrmacht.