"Liberdade, Liberdade". Protestos em Itália com pilhagem à mistura

por Alexandre Brito - RTP
Várias lojas de luxo foram pilhadas durante os protestos Reuters

As novas restrições à vida em Itália não estão a ser bem recebidas pela população. Milhares de manifestantes saíram à rua em protesto em cidades como Roma, Nápoles, Palermo, entre outras. A situação foi pior em Milão e Turim, onde várias lojas de luxo foram pilhadas. A polícia teve mesmo de disparar gás lacrimogéneo para controlar a situação.

Os protestos explodiram por toda a Itália, esta segunda-feira, contra as restrições do Governo para conter o novo coronavírus que continua a contaminar a um nível alarmante no país.

Em Turim, várias lojas de luxo foram saqueadas depois de multidões de jovens terem tomado as ruas da cidade e começarem a lançar fogo de artifício e a incendiar semáforos.

As autoridades responderam com gás lacrimogêneo para restaurar a ordem na cidade.

Em Milão também foram registados confrontos com multidões a enfrentar a polícia ao mesmo tempo que gritavam "Liberdade, liberdade, liberdade".Depois de terem aguentado uma primeira vaga da Covid-19, com confinamentos pesados e um impacto brutal na economia, os italianos não estão agora a compreender as novas restrições. 

O Governo ordenou no domingo que bares e restaurantes têm que fechar às 18 horas. Mandou também encerrar ginásios, cinemas e piscinas para tentar conter o aumento de casos.

Localmente, várias regiões, como a Lombardia e Piemonte, também impuseram recolher obrigatório.

Medidas que estão a levar as pequenas empresas, que ainda estavam a tentar recuperar do primeiro choque, à falência.

Para tentar acalmar os ânimos, o Governo já veio dizer que vai hoje apresentar um pacote de medidas para apoiar os negócios que estão novamente a ser afetados.
O que está a acontecer por toda a Europa

Já se nota algum cansaço das populações com a situação e o impacto que está a ter nas vidas. 

Um pouco por toda a Europa tem havido pequenos focos de protesto contra as medidas que os vários governos estão, de novo, a aplicar por causa do aumento de casos.

Na República Checa o Executivo ordenou um recolher obrigatório a partir das nove da noite. O país tem sido um dos mais afetados nesta segunda onda de infeções da Covid-19.

A França continua a braços com um aumento substancial de novos casos. Esta segunda-feira teve o maior número de doentes hospitalizados desde Abril. Também aqui o Governo volta a equacionar medidas mais restritivas.

Em Espanha, o número de novos casos continua a aumentar e o poder político está com dificuldades em convencer a população a aplicar as medidas de contenção.

c/ agências
Tópicos
pub