"A Dor das Crianças Naõ Mente", de Pedro Namora, lançado em Abril

| Cultura

O ex-aluno da Casa Pia Pedro Namora lança a 04 de Abril o seu primeiro livro, "A Dor das Crianças não mente", uma crítica à forma como as alegadas vítimas foram tratadas no processo de pedofilia na instituição.

"O que me magoou mais no decorrer deste processo foram os ataques brutais contra as vítimas, crianças indefesas. Usaram contra a sua coragem e pungente sofrimento todo o tipo de munições, das palavras alarves às perseguições e ameaças", lê-se na contracapa do livro de Pedro Namora, editado pela Bertrand.

Segundo Pedro Namora, um dos rostos mais ligados à defesa das alegadas vítimas do processo Casa Pia, "cedo a ofensiva cruel e desumana contra as vítimas fez parte da estratégia de destruição de toda a investigação".

"Sempre que surgem as primeiras denúncias de abuso sexual de crianças, estas são imediatamente apelidadas de prostitutas, marginais e mentirosas. Mas a realidade é bem diferente: a dor das crianças abusadas sexualmente, não mente", escreve Pedro Namora na obra, que será apresentada publicamente pela jornalista Felícia Cabrita.

O livro conta com um prefácio da Provedora da Casa Pia, Catalina Pestana, em que esta aponta Pedro Namora como um ex-aluno da Casa Pia que "vai ser recordado por muitas gerações mais novas como um dos seus pares que, tendo vencido a pulso na vida, não teve medo de ser irmão até ao fim, quando os outros corriam muitos perigos".

"Não teve medo de sobrepor ao código informal casapiano, que consiste em defender a instituição contra tudo e contra todos, aquele que não é só casapiano, mas é universal e que consiste na defesa obrigatória dos mais fracos, desprotegidos, dos espezinhados. Ao bom- nome da Casa Mãe soube sobrepor o bem-estar dos que justificam a sua existência", diz Catalina Pestana no prefácio.

A provedora lembra que desde finais de 2002 se "abateu sobre a Casa Pia de Lisboa a mancha tenebrosa provocada pela acção de predadores sexuais incontrolados que, entre o silencio e as sombras dos muros altos, abusaram, durante décadas, de centenas de crianças e jovens".

José Pedro Namora nasceu em Lisboa em 1964, foi aluno interno da Casa Pia de Lisboa, nomeadamente dos colégios de Nuno Álvares Pereira e de Pina Manique, entre 1971 e 1981, tendo-se formado em Direito.

Em Novembro de 2002 denunciou publicamente, em conjunto com o mestre relojoeiro Américo Henriques, o drama do abuso sexual de menores da instituição.

"A par do combate que então iniciou tem defendido a reabilitação da Casa Pia de Lisboa, que considera indispensável às crianças carenciadas e privadas de um meio familiar adequado", lê-se ainda na apresentação do livro.

O julgamento do processo Casa Pia, que decorre no antigo Tribunal Militar de Santa Clara, senta no banco dos réus sete pessoas acusadas de abuso sexual de menores e lenocínio (favorecimento da prostituição), entre outros crimes.

A informação mais vista

+ Em Foco

No mês do Mundial de futebol a RTP faz uma radiografia da vida na Rússia.

    Entrevista a António Mateus para o programa "Olhar o Mundo". Veja aqui.

    Um olhar aos altos e baixos da relação entre o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un.

      A RTP esteve em 2017 no navio Aquarius, agora acolhido por Espanha com mais de 600 migrantes a bordo. Veja ou reveja a reportagem.