Arte feita por doentes mostra em Coimbra o desafio de viver com doença rara

| Cultura

Trabalhos de doentes do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) vão, a partir de terça-feira, integrar uma exposição que mostra como é que a arte pode servir para expressar o desafio de viver com uma doença rara.

Aproveitando a presença da exposição Expression of Hope III no CHUC, esta instituição desafiou pessoas da região que sofrem de doenças raras a também fazerem as suas obras.

"Estes trabalhos integrarão a digressão da exposição Expression of Hope III em Portugal e serão complementados com trabalhos de outros doentes, pois a ideia será sempre desafiar os doentes de cada local a contribuir também com as suas obras", explicou à agência Lusa a presidente da Aliança Portuguesa de Associações das Doenças Raras, Marta Jacinto.

Foi pedido aos doentes que fizessem desenhos ou pinturas, que ficarão "integrados na exposição Expression of Hope, mas percebe-se que são obras à parte", acrescentou.

A Aliança Portuguesa de Associações das Doenças Raras é a promotora da vinda a Portugal da exposição Expression of Hope, que tem 25 obras.

Segundo Marta Jacinto, "essas obras resultaram de um repto lançado a associações um pouco por todo o mundo e expressam a esperança dos doentes, apesar de a sua vida ser complexa e de muitas vezes terem uma diminuição da sua capacidade física".

"Mais do que as obras, o que toca as pessoas e demonstra a sua esperança é a explicação de cada um sobre a obra que fez", considerou.

A responsável exemplificou com uma pintura do Reino Unido que representa três pinguins: um branco, um rosa e um preto.

"Estes pinguins revelam as emoções de quem é diagnosticado com uma doença que encurta a vida", sendo que o amarelo representa "a coragem e a bravura", o rosa "revela o amor e cuidado por parte da família e amigos" e o preto "é o mais importante, porque não é preciso uma cor elegante para ser incrível", refere a explicação.

A abertura oficial da exposição acontece no âmbito da celebração do Dia Internacional da MPS (Mucopolissacaridoses), um grupo de doenças hereditárias genéticas que tem uma relação de um em cada 25.000 nascimentos.

As obras vão ficar patentes no átrio principal do CHUC.

Tópicos:

Doenças Raras, Expression Hope III, Hospitalar,

A informação mais vista

+ Em Foco

O maior campo de refugiados na Europa fica na ilha grega de Lesbos. O campo de Moria alberga quase oito mil pessoas, três vezes mais do que a capacidade instalada. Reportagem RTP.

A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.