Festival Português do Vale de São Joaquim atrai mais de 15 mil pessoas no vale central da Califórnia, nos EUA

| Cultura

O Festival Português do Vale de São Joaquim, que decorreu no sábado em Turlock, atraiu "mais de 15,000 pessoas" e tornou-se no maior evento luso-americano da Califórnia, disse à Lusa a responsável da organização, Elaina Vieira.

A presidente da Carlos Vieira Foundation, que criou o novo festival, sublinhou o dinamismo da comunidade luso-americana na região do vale central da Califórnia e referiu que "já havia fila antes dos portões abrirem", uma demonstração da "excelente resposta" dada ao evento.

Os números colocam a primeira edição do Festival Português do Vale de São Joaquim entre os maiores da comunidade lusa nos Estados Unidos.

Os lucros conseguidos no evento vão reverter para a iniciativa "Race for Autism", uma campanha permanente da fundação Carlos Vieira que neste momento dá bolsas de 500 dólares anuais a cerca de 100 famílias com filhos autistas.

Foi esse o motivo que levou Liz e Tony Rodrigues a viajarem desde Artesia até Turlock para irem ao festival, já que o casal tem familiares com crianças autistas.

"Viemos para apoiar esta fundação", disse à Lusa Liz Rodrigues, considerando "incrível" o que a Carlos Vieira Foundation está a fazer pelo autismo e elogiando o "bom aspeto" do festival, que ultrapassou a dimensão das celebrações do Dia de Portugal em São José.

Brian Martins, representante da Luso-American Financial e vice-diretor da escola primária de Hart-Ransom em Modesto, destacou a diversidade da audiência, dizendo que "é ótimo ver gente de toda a Califórnia".

Pouco depois das quatro da tarde, estava esgotada a comida na cozinha da organização e havia longas filas na maioria das tendas e rulotes, que vendiam filhós, bifanas, torresmos e cerveja, entre outras especialidades portuguesas.

Alexander Dias, CEO da marca de ginjinha de Óbidos Ginja9, notou que o festival foi mais abrangente que as festas das comunidades portuguesas que acontecem por toda a Califórnia e nas quais costuma participar.

"Este evento é um pouco diferente, porque não só envolve a comunidade portuguesa mas também os americanos que vivem no vale central", disse o responsável, falando de um "misto de culturas" e da oportunidade de mostrar a ginjinha a um público mais diverso.

Entre as bandeiras hasteadas e as cores portuguesas usadas em chapéus de sol, lenços, roupas e artigos de decoração, muitos lusodescendentes levavam roupas alusivas às suas origens, dizendo "Portuguese Power" (Poder Português), "Portuguese Princess" (Princesa Portuguesa) ou "American Grown with Portuguese Roots" (Crescido na América com Raízes Portuguesas).

No espaço do Museu Histórico Português de São José, o único dos Estados Unidos exclusivamente dedicado à herança lusa, estavam expostos artefactos da comunidade imigrante do século XIX e quadros explicativos da influência da diáspora na Califórnia.

"Estamos muito entusiasmados com o resultado", afirmou Elaina Vieira, referindo que a receção da comunidade ao evento se deveu à capacidade de reunir num único espaço vários aspetos da herança portuguesa, incluindo gastronomia, arte, música tradicional, comédia e merchandising.

"As pessoas estavam entusiasmadas", disse a responsável. "Há Festas [do Espírito Santo] e outras coisas, mas nada nesta escala e com este alinhamento".

O grupo de comediantes The Portuguese Kids foi uma das principais atrações em termos de entretenimento, com uma comédia virada para as especificidades da imigração portuguesa, que misturou as duas línguas e incluiu músicas de paródia como a "Festa Song".

Outros pontos fortes do alinhamento foram as atuações da banda de rock Eratoxica e dos luso-canadianos StarLight, além da música popular de Alcides Machado .

O Grupo de Fados de Medicina do Porto, que está numa mini-tour na Califórnia, também atuou no festival e tocou vários temas clássicos do fado de Coimbra, tal como a "Balada da Despedida".

Os estudantes de medicina dirigiram-se ao público em português e em inglês e destacaram a dimensão do festival e o interesse da audiência, referindo que a sua missão é levar a música tradicional à diáspora para que as tradições portuguesas "não sejam esquecidas".

O diretor de atividades fraternais da Portuguese Fraternal Society of America (PFSA), Jerry Escobar, principal patrocinador do festival, declarou o seu contentamento pelo grande número de pessoas que estiveram no evento.

O responsável apontou que muitos são descendentes de terceira geração ou superior mas "continuam a identificar-se com as raizes portuguesas", algo que a PFSA quer reforçar com iniciativas viradas para as gerações mais jovens.

O Festival Português começou com uma Parada Portuguesa e teve uma corrida de touros sem sangue, liderada por Paulo Jorge Ferreira e pelo Grupo de Forcados Amadores de Turlock.

A cidade tem uma das maiores concentrações de luso-americanos da Califórnia, com 7,4% da população a declarar origens portuguesas no último recenseamento.

Tópicos:

Alcides, Artesia, Califórnia, Elaina, Forcados Amadores, Hart Ransom, Liz, Portuguese Fraternal Society, Raízes, Turlock,

A informação mais vista

+ Em Foco

Gravações da PIDE mostram como a polícia política vigiava os opositores do Estado Novo. A RTP teve acesso a essas gravações e divulga-as pela primeira vez.

Nos 45 anos do 25 de Abril, a RTP mostra-lhe em exclusivo um documento inédito sobre o período do PREC - um documentário de Jacinto Godinho.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.