Fortim da Atalaia, em Cerveira, classificado como Imóvel de Interesse Público

| Cultura

O fortim da Atalaia, em Vila Nova de Cerveira, já é Imóvel de Interesse Público, como consta da portaria hoje publicada em Diário da República, quase 40 anos depois da Câmara local ter iniciado o processo de classificação.

De acordo com a portaria assinada pelo ministro da Cultura, o fortim da Atalaia, situado em Alto do Lourido, na União das Freguesias de Vila Nova de Cerveira e Lovelhe, no distrito de Viana do Castelo, "possui grande relevância histórica e patrimonial, destacando-se a originalidade da sua estrutura, a sua importância no âmbito da arquitetura militar e da defesa da raia minhota".

Propriedade privada, o fortim da Atalaia, datado do século XVII, "é a mais pequena das fortificações que constituíram o conjunto defensivo de Vila Nova de Cerveira, garantindo a sua participação na defesa do Minho durante as Guerras da Restauração".

Em comunicado, hoje, o presidente da câmara, Fernando Nogueira, afirmou ter sido "um percurso longo e difícil", acrescentando que a classificação agora alcançada "constitui uma das formas de conseguir avançar com a preservação e valorizarão digna e efetiva da Atalaia".

"Além de ficar legalmente protegida, abrem-se janelas de oportunidade para recorrer a fontes de financiamento para sua reabilitação", afirmou, na altura, o presidente da câmara, Fernando Nogueira, citado na nota.

Segundo a portaria hoje publicada, "a Atalaia situada em Alto do Lourido, Lovelhe, em posição elevada, a meia encosta, e detendo um amplo sistema de vistas, funcionaria como complemento da defesa de Vila Nova de Cerveira e do Forte de Lovelhe".

Em março passado, o ministro Luís Filipe Carrilho de Castro Mendes deu parecer favorável à classificação, processo iniciado pela câmara local há quase 40 anos.

"Embora se atribua a construção ao esforço militar de meados do século XVII, a sua tipologia denuncia ainda os modelos renascentistas, de influência italiana, que caracterizaram a primeira metade do século XVII, sendo mesmo possível que a intervenção setecentista tenha reformulado uma estrutura de origem medieval", adianta o documento.

A classificação reconhece o interesse do imóvel "como testemunho notável de vivências ou factos históricos" e realça ainda "o valor estético, técnico e material intrínseco, a conceção arquitetónica e paisagística", bem como a sua importância para a "memória coletiva e do ponto de vista da investigação histórica ou científica".

Tópicos:

Atalaia, Cerveira, Guerras, Lovelhe,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.