Mariano Deidda apresenta novas músicas para poemas de "Mensagem"

por © 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Lisboa, 04 Dez (Lusa) - O cantor e compositor italiano Mariano Deidda inicia hoje uma digressão por três palcos nacionais onde apresentará as suas novas composições para poemas da "Mensagem" de Fernando Pessoa.

O Centro Cultural de Belém, em Lisboa, será o primeiro palco, seguindo-se sexta-feira o Teatro das Figuras em Faro e no sábado o Salão Nobre da Câmara Municipal de Matosinhos.

"Pessoa é um património da humanidade e procuro inspirar-me nas músicas do mundo para os seus poemas pois considero que é a mais adequada a esse património da humanidade que ele é", disse Mariano Deidda à Lusa.

Nesta digressão nacional o cantor/compositor apresentará novas composições de poemas de Fernando Pessoa do seu único livro publicado em vida, "Mensagem".

"Escolhi 13 dos 44 poemas que o compõem, e para os quais escolhi um ambiente musical mais clássico, mas em que quero introduzir um elemento claramente português, dado o seu carácter histórico e nacionalista", explicou o músico.

A guitarra portuguesa foi o instrumento escolhido por Deidda que gostaria de ver no seu grupo de acompanhantes o guitarrista Ricardo Rocha.

"Tenho ouvido falar muito bem dele [Ricardo Rocha], tem atrás de si uma tradição, neto de Fontes Rocha que acompanhou Amália Rodrigues, e é um músico muito completo", disse Deidda que espera encontrar-se nesta vinda a Portugal com o autor de "Volumptuária".

Deidda abrirá os três espectáculos com "D. Tareja", o primeiro poema de "Mensagem", dedicado à mãe de D. Afonso Henriques, e a quem o poeta apelida de "mãe de reis e avó de imperadores".

O disco baseado na "Mensagem" será gravado só no próximo ano, "mas nos palcos portugueses ir-se-á fazer algumas experiências", disse.

Mariano Deidda, contando com a parceria do escritor António Tabuchi que traduziu os poemas de Pessoa, dedicou já três álbuns ao poeta português.

Em declarações à Lusa afirmou que musica "indiferentemente" os vários heterónimos do poeta e os inclui no mesmo álbum.

Para Bernardo Soares, escolhe "música variada, sem grandes preocupações, mais ao fluir das emoções", enquanto as poesias de Álvaro de Campos "são musicadas num ambiente mais jazzístico".

"A música experimental aplico mais a Ricardo Reis", outro dos heterónimos de Pessoa.

Para o compositor, o poeta português "é um escritor do futuro" e vaticina que "a cultura será a grande mais valia económica no futuro".

"A cultura é uma fonte inexaurível, basta descobri-la", frisou.

Além dos três álbuns dedicados ao poeta, Deidda tem ainda editado um quarto CD com poesias de Pessoa, gravado ao vivo na Igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma.

Em 2001, três anos apenas após o seu disco de estreia ter sido distinguido em Itália como Álbum do Ano, Deidda "mergulhou" na obra de Fernando Pessoa traduzida pelo escritor Antonio Tabucchi, um projecto que caminha para o quarto álbum e que intitulou "Deidda interpreta Pessoa".

Este mesmo projecto foi apresentado pelo músico, recentemente, em Beirute num festival dedicado à poesia na música organizado pela UNESCO.

Deidda tem sido distinguido com vários galardões, entre eles, o Prémio Tenco que Dulce Pontes também já recebeu, o Prémio Recanati e Prémio Grinzane Cavour 2007.

NL.

Lusa/Fim


pub