"Mil Sóis Resplandecentes", segundo romance de Khaled Hosseini, editado em Portugal

por © 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.

Lisboa, 18 Fev (Lusa) - "Mil Sóis Resplandecentes", o segundo romance do escritor afegão Khaled Hosseini, que retrata os últimos trinta anos do Afeganistão através de duas mulheres, é editado esta semana em Portugal.

Depois de "O menino de Cabul", a sua obra de estreia, Khaled Hosseini editou este novo romance em 2007 nos Estados Unidos - chega agora a Portugal pela Presença -, depois de ter visitado o seu país de origem.

"Três meses depois de ter acabado "O menino de Cabul", em Março de 2003, regressei a Cabul, ao fim de uma ausência de 27 anos, e ouvi histórias de mulheres que foram violadas, agredidas, humilhadas, que viram os seus maridos explodir em pedaços e os seus filhos morrer à fome", escreve o autor no seu blogue pessoal.

"Mil Sóis Resplandecentes", traduzido por Manuela Madureira, é então um retrato do seu país, contado por duas mulheres que se casam com o mesmo homem e se tornam confidentes uma da outra.

Se no primeiro romance Khaled Hosseini fala do seu país pelos olhos dos homens, nesta obra a perspectiva é das mulheres, de Mariam e Laila, cujas vidas ficaram marcadas pela guerra e pelas mortes familiares e cujo refúgio, mas ao mesmo tempo prisão, é o marido Rashid.

Na recente viagem à cidade onde nasceu, Khaled Hosseini disse que viu, pela primeira vez, o enorme sofrimento das mulheres, mas também a sua resistência e coragem em tempo de guerra e repressão.

"Quando me sentei a escrever `Mil sóis resplandecentes´, em 2004, estava sempre a ouvir as vozes dessas mulheres, a ver os seus rostos", recordou o autor.

A par da história pessoal destas duas mulheres, Hosseini não esquece as mudanças políticas no país, a retirada dos soviéticos e a tomada de poder pelos talibãs.

O título do romance remete directamente para o excerto de um poema que uma personagem cita para descrever Cabul: "Não se podem contar as luas que brilham sobre os seus telhados/ nem os mil sóis resplandecentes/ que se escondem por trás dos seus muros".

Khaled Hosseini tem 42 anos, nasceu em Cabul, mas vive nos Estados Unidos desde finais dos anos 1970, quando a sua família pediu asilo político.

Foi a partir dos Estados Unidos, que lhe concedeu nacionalidade norte-americana, que Khaled Hosseini romanceou duas histórias sobre o seu país.

Hosseini é médico e embaixador da Boa Vontade nas Nações Unidas.

"O menino de Cabul", (Relógio d´água, 2005) e "Mil Sóis Resplandecentes" (Presença, 2008) estão traduzidos em vários países. Nos Estados Unidos, o segundo romance vendeu mais de 1,4 milhões de exemplares.

A primeira obra já foi adaptada para cinema, por Marc Forster.

SS.