Mostra pública POSTER volta a transformar Marvila numa "galeria a céu aberto"

| Cultura

As ruas de Marvila, em Lisboa, vão ser dinamizadas através da mostra pública POSTER, pelo segundo ano consecutivo, a partir de sábado, com a intenção de "criar uma galeria pública a céu aberto", possível pela colaboração entre os artistas convidados.

De acordo com o organizador do evento, Bruno Pereira, pretende-se, "no fundo, que toda a gente possa passar e ver as peças dos artistas, músicos, ilustradores e escritores" que aceitaram as propostas que lhes fez, integrando o roteiro da exposição de arte urbana, que arranca este sábado com um `open day` inaugural.

A `designer` norte-americana Jessica Walsh, o músico Sérgio Godinho, a ilustradora Kruella d`Enfer, o coreógrafo Rui Horta e a poetisa e argumentista Cláudia R. Sampaio, são alguns dos nomes que constam da longa lista de convidados, aos quais se juntam, ainda, cinco pessoas que viram os seus trabalhos serem escolhidos por Bruno Pereira - "planificador artístico" por definição própria - de um total de 25 intervenientes que materializam a importância da colaboração.

À semelhança da edição de 2016, Marvila continua a ser o pano de fundo, já que "é um espaço [com] paredes vazias, sem muita poluição visual e que (...) dá aso a contemplar as peças", permitindo aos visitantes passear pelo local sem perturbações, ao mesmo tempo que transmite a noção de que "uma parede é mais [do] que uma parede".

As paredes são as telas da mostra multidisciplinar, patente até 14 de novembro, em que o formato poster - anunciado, em comunicado, como "o meio de comunicação mais poderoso" - é também "um meio muito fácil de fazer" ao qual se associa "liberdade que dá para comunicar" e que conta com "mais de 300 anos de eficácia", conclui Bruno Pereira, em declarações à agência Lusa, aquando da visita de imprensa.

O roteiro percorrido pelos jornalistas abrangeu algumas das galerias de artes que irão abrir portas, às 14:00 do próximo sábado, entre as quais a Galeria Francisco Fino e a Galeria Baginski, que assinalam o início de uma programação orientada por uma visita guiada, onde irão ser desvendados os resultados da iniciativa MINI POSTER - um `workshop` liderado pela ilustradora Kruella d`Enfer, em associação com jovens acolhidos pela Casa Pia e pela Fundação Obra do Ardina.

Em entrevista, Kruella d`Enfer revelou que ficou "muito contente" pelo convite da organização, sendo que os posters que figuram na exposição foram "uma continuação do trabalho que [tem] feito a nível de ilustração".

A artista adaptou uma das suas criações a um "formato diferente [que] dá toda uma nova vida à peça", servindo-se também da visibilidade que a rua fornece.

Por fim, à diversidade de projetos artísticos, dentro do fomato que rege o evento, junta-se a música de DJ como Joaquim Quadros e Isaac Age, ambos a atuarem no Bar Capitão Leitão, assim como o primeiro leilão levado a cabo pela Missão Dimix - composto por cerca de 30 peças de artistas conhecidos -, uma organização dedicada à promoção de "oportunidades de autoexpressão, exteriorizando o mundo interior de cada um", como sublinha o comunicado da organização do POSTER.

Tópicos:

Bruno, Galeria, Kruella, MINI POSTER,

A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Filipe Vasconcelos Romão, comentador de assuntos internacionais, refere que o artigo 155 da Constituição Espanhola será aplicado sem que haja qualquer lei de enquadramento.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Na primeira entrevista pós-autárquicas, à Antena 1, Jerónimo de Sousa não poupou nas palavras. Afirmou que o "Governo ficou mal na fotografia e subestimou a situação" dos fogos.