"Munda Lusófono" será montra para a literatura de língua portuguesa em Montemor-o-Velho

| Cultura

Montemor-o-Velho acolhe no dia 27 o "Munda Lusófono", encontro literário que reúne escritores, ilustradores, artistas plásticos, contadores de histórias e músicos de várias nacionalidades que têm como traço de união a língua portuguesa.

"Partindo do Mondego, ou Munda, como lhe chamavam os viajantes e historiadores na época dos romanos, Montemor-o-Velho volta a seguir numa viagem pela Literatura de língua portuguesa espalhada pelos vários continentes", referem os organizadores em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Organizado pelo município de Montemor-o-Velho, este encontro de caráter multidisciplinar pretende "promover e divulgar a língua portuguesa, fortalecer os laços institucionais, sociais e culturais entre os autores oriundos dos vários países de língua oficial portuguesa, num diálogo cada vez mais interlusófono".

Os destaques da edição deste ano são a escritora de São Tomé e Príncipe Olinda Beja e o músico Filipe Santos, seu conterrâneo, que participam na tertúlia de abertura (15:30) com a escritora portuguesa Isabel Machado, moderada por Olga Cavaleiro, presidente da Federação das Confrarias Gastronómicas.

Para as 17:00 está marcada a "performance" "Palavras da Terra de Longe - Sons de São Tomé e Príncipe", com voz de Olinda Beja e música de Filipe Santos.

O programa inclui ainda uma visita noturna ao castelo de Montemor-o-Velho, onde será apresentado o espetáculo "Trovas Lusófonas", com encenação do Grupo de Teatro da Casa do Povo de Abrunheira.

"A pretexto da Literatura, e ao longo da tarde de dia 27 de outubro, pretende-se igualmente dar a conhecer o património histórico, arquitetónico, paisagístico e gastronómico do concelho de Montemor-o-Velho através de um programa diversificado", garantem os organizadores.

Tópicos:

Isabel, Mondego, Montemor Velho Montemor Velho,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

      Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

        Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.