Parque de Santiago, em Viseu, vai ser "grande zona de lazer familiar" - Câmara

| Cultura

A Câmara de Viseu quer transformar o parque da Radial de Santiago numa "grande zona de lazer familiar", onde será investido quase meio milhão de euros, anunciou hoje o presidente daquela autarquia, Almeida Henriques.

Criado pela Viseu Polis há cerca de dez anos com o objetivo de ser o recinto da feira semanal, este espaço beneficiará de uma obra de requalificação e alargamento que vai unir as duas margens do Rio Pavia.

"A vocação deste parque ambiental, de lazer familiar e de prática física ao ar livre será finalmente concretizada", afirmou o autarca.

Na sua opinião, vai assim renascer "um pulmão verde em Viseu, convidativo, bem equipado e seguro".

A empreitada e a instalação de equipamentos, arquiteturas e mobiliário representam um investimento de 452 mil euros, que deve estar concretizado até ao início do verão.

Uma ponte pedonal vai ligar as duas frentes ribeirinhas, permitindo o alargamento do parque à margem esquerda do Rio Pavia.

"Com esta reapropriação reforçaremos a relação da cidade com o seu rio histórico", frisou Almeida Henriques.

O projeto aposta na arborização do parque, sendo feitos investimentos em galerias ripícolas, pomares e bosque e reforçando o ajardinamento e sombreamento, colmatando assim uma das principais lacunas que tem atualmente.

No parque urbano surgirá também o "Monte Viseu", um local que terá funções de miradouro.

No que diz respeito ao equipamento lúdico e desportivo, será criado um labirinto, instalados um parque de slide e campos de basquetebol e disponibilizadas áreas de fitness.

A segurança será reforçada através da iluminação, não estando colocada de parte a possibilidade de, futuramente, a autarquia recorrer a dispositivos de videovigilância.

Um relógio de sol dedicado ao herói Viriato e um painel de grandes dimensões alusivo aos "Direitos das Crianças" são outras das novidades do projeto.

 

 

Tópicos:

Câa, Radial Santi, Viseu,

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    O incêndio de Pedrógão Grande provocou a morte de 64 pessoas e deixou mais de 200 pessoas feridas. Revisitamos os últimos dias com fotografias e imagens aéreas captadas com recurso a um drone.

      É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

      Por que razão não voltou o Homem ao satélite natural da Terra desde a década de 70 do século XX? Uma das explicações pode estar na poeira que cobre a superfície da Lua.