Rede cultural leva novos espetáculos à região Dão Lafões

por Lusa

Um espetáculo de teatro que é também um jantar, uma imersão sonora nas termas e composições musicais associadas a filmes icónicos são algumas das propostas culturais, hoje divulgadas, que este ano vão percorrer a região Dão Lafões.

Os espetáculos vão, ao longo de todo o ano, circular por 14 concelhos, no âmbito da Rede Cultural Viseu Dão Lafões, um projeto da Comunidade Intermunicipal (CIM) com o mesmo nome e que é cofinanciado pelo programa operacional Centro 2020.

A apresentação da programação foi feita na Casa da Ínsua, em Penalva do Castelo, que, na sexta-feira, no sábado e no domingo, acolherá o primeiro espetáculo deste ano, intitulado "O presente de César", da responsabilidade do Teatro Viriato, de Viseu. Estas três sessões já estão esgotadas.

A diretora do Teatro Viriato, Paula Garcia, explicou que o espetáculo, encenado por Giacomo Scalisi, privilegiou a relação com o património, com a região e com os seus produtos endógenos.

Segundo Paula Garcia, o texto original de Sandro William Junqueira "parte de região para falar de Portugal", inspirado no facto de os portugueses sempre terem tido "necessidade de se lançar ao mar em busca de melhores condições de vida".

É um trabalho que fala "sobre perda, sobre o desligar da família por necessidade de ir em busca de novas condições", avançou, acrescentando que terá 27 apresentações, em nove municípios.

A associação cultural Binaural/Nodar, de S. Pedro do Sul, lançou o repto para a participação na "Imersão sonora termal: uma experiência multicanal", com apresentações nos balneários termais de S. Pedro do Sul, Castro Daire e Nelas.

"Associa questões que têm a ver com o bem-estar e o estado meditativo e de tranquilidade", sendo "um espetáculo bastante imersivo", mas contará também "as histórias específicas de cada terma", avançou o coordenador da associação, Luís Costa.

A Binaural/Nodar mantém ainda em itinerância o espetáculo "Pontes perenes em águas temporárias", que conta com a participação de músicos e de ranchos folclóricos.

No final do ano, fará também uma exposição "que tenta mostrar, através de conteúdos fundamentalmente audiovisuais, o potencial patrimonial infinito" que o território tem, acrescentou.

Pelo terceiro ano, o Cine Clube de Viseu manterá o cinema ao ar livre e apresentará dois novos projetos este ano: o "Cine concerto fora de portas" e o documentário Film Lab.

O presidente do Cine Clube de Viseu, Rodrigo Francisco, explicou que o projeto "Cine concerto fora de portas" vai "associar filmes icónicos, relevantes, da história do cinema com composições musicais originais", envolvendo músicos convidados, alguns dos quais da região.

O documentário irá focar-se "nos aspetos fundamentais do património imaterial associados à região, muitas vezes olhando o que não se olha à primeira vez, mas conseguindo fazer com que o cinema encontre alguns que valha a pena divulgar", acrescentou.

O Teatro Regional da Serra do Montemuro, de Castro Daire, andará a circular com o espetáculo "Histórias que dão para ver", que se estreia em março e que tem a particularidade de juntar as cinco companhias parceiras da Rede Cultural Viseu Dão Lafões.

O espetáculo contará com a participação de 14 mulheres, uma vez que, segundo o encenador do espetáculo, Paulo Duarte, "fala muito da igualdade e do tradicional e do moderno".

O foco do espetáculo é "promover a região", ou seja, as suas companhias, os municípios que acolhem os espetáculos e as pessoas, acrescentou.

Paulo Duarte explicou que o espetáculo terá cinco histórias e que um guia transportará o público entre elas.

A Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT) terá duas atrizes a construir o espetáculo com o Teatro Regional da Serra do Montemuro.

"Este espetáculo demonstra uma das vertentes desta rede cultural, que é, se possível e quando possível, juntarmo-nos e partilharmos criativamente um produto artístico", considerou o ator e encenador Pompeu José, da ACERT.

O secretário executivo da CIM, Nuno Martinho, explicou que estes espetáculos têm como objetivo, através da cultura, valorizar os recursos territoriais e da região, os recursos patrimoniais e o envolvimento com a comunidade.

Desde 2017, mais de 80 espetáculos percorreram os 14 municípios da região no âmbito da Rede Cultural Viseu Dão Lafões.

pub