Ringo Starr e Barry Gibb armados cavaleiros do império britânico

| Cultura
Ringo Starr e Barry Gibb armados cavaleiros do império britânico

A ver: Ringo Starr e Barry Gibb armados cavaleiros do império britânico

Ringo Starr e Barry Gibb estão na lista das personalidades condecoradas pela Rainha de Inglaterra.

Isabel II distingui o antigo baterista dos Beatles e o cantor dos Bee Gees pelos serviços prestados à música e pelo trabalho desenvolvido no âmbito da caridade.

Ringo Starr e Barry Gibb, que já eram Comendadores do Império britânico, vão passar agora a ser cavaleiros.

Da lista de distinções reais do Ano Novo fazem ainda parte o actor Hugh Laurie, famoso pelo papel de médico na série de televisão Dr House.

A Rainha distinguiu mil cento e vinte e três pessoas, 70 por cento pelo trabalho desenvolvido e pela acção na comunidade local.

Uma segunda lista de prémios é anunciada anualmente por ocasião do seu aniversário, a 21 de abril.

Ringo Starr, de 77 anos, foi nomeado para membro da Ordem do Império Britânico em 1965. "É uma honra e um prazer ser reconhecido pela minha música e pelo meu trabalho de caridade", disse, num comunicado divulgado hoje.

Barry Gibb, que tem o título de comendador do Império Britânico, será igualmente cavaleiro por seus serviços prestados à música e à caridade.

Já Nick Clegg, ex-líder do partido Liberal Democrata e vice-primeiro-ministro no Governo de David Cameron, entre 2010 e 2015, foi nomeado cavaleiro "pelos serviços prestados à política e ao público".

Um especialista em sondagens, o professor John Curtice, foi nomeado cavaleiro pelos "serviços à política e às ciências sociais".

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.