Rui Veloso edita segunda-feira disco celebrativo dos 25 anos de carreira

| Cultura

O novo disco que Rui Veloso edita segunda-feira, "A espuma das canções", com o qual o músico comemora os seus 25 anos de carreira demonstrando que "ainda se inventam canções", como refere uma das letras.

Nos 15 temas que constituem o álbum, editado pela EMI Music, a composição de Rui Veloso percorre diferentes paisagens musicais desde o reggae ao blues, passando pelo rock, e até pela música tradicional portuguesa.

Carlos Tê assina os 15 temas, facto que não acontecia desde o álbum "Lado lunar" editado há 10 anos.

"A espuma das canções" terá duas edições diferentes, uma delas uma série limitada com duas faixas de bónus, e ainda um DVD que inclui o "making of" de "Espuma das canções", fotos em estúdio e vídeo de "Canção de alterne" que Rui interpreta com Nancy Vieira.

"Não percas o teu mistério" é uma das faixas extras, a outra, "Questão de confiança" tem letra de João Monge.

Este álbum, segundo fonte da editora, "surge muito maturado, notando-se claramente o engenho de quem o faz".

"Tanto o Rui como o Carlos Tê já não estavam juntos há muito tempo e este álbum, mais do que o seu reencontro criativo, revela-nos o seu engenho de saber misturar a música com a palavra", disse à agência Lusa o mesmo responsável da EMI.

O álbum "A espuma das palavras" revela uma variedade de recursos musicais e estilísticos onde se encontra reflexos de outros álbuns de Rui Veloso - este é o seu 13º - mas também, como disse a mesma fonte "um refrescamento de repertório".

O responsável da editora frisou à agência Lusa ser este "um álbum tão fresco e forte que podemos falar do primeiro álbum dos próximos 25 anos de Rui Veloso".

Além de Nancy Vieira com quem interpreta "Canção de alterne", outra participação especial é a de Sara Tavares nos temas "Luz falsa" e "Não invoquem o amor em vão" com que abre o álbum.

Participam também diversos músicos "escolhidos por Rui para cada um dos temas".

Entre estes refira-se o pianista Bernardo Sassetti, Zé Nabo, Barnaby Dickinson, Gary Barnacle, Nathan Bray, ou os músicos da Sinfonieta de Lisboa sob a batuta de Vasco Pierce Azevedo.

O álbum produzido por Carlos Tê e Luís Jardim, com excepção de "Brilho dental" (Nilo Romano) e "Questão de confiança" (Rui Veloso) foi gravado nos estúdios Vale de Lobos, nos Fábrica de Chocolate e Yahoo Estúdios do Rio de Janeiro, tendo sido feitas ainda gravações adicionais nos Livingstone Studios, em Londres.

Em Abril de 1980 Rui Veloso, com Zé Nabo no baixo e Ramon Galarza na bateria, entra em estúdio e grava o álbum "Ar de Rock" que se revela um dos "maiores estrondos" no meio musical português.

Deste LP, ainda em vinil, saltam imediatamente para a rua os temas "Chico fininho", "Rapariguinha do Shopping" e "Sei de uma Camponesa".

O single do álbum, "Chico Fininho", chega logo a Disco de Platina, por vendas superiores a 50.000 exemplares.

Nesse mesmo ano ganhou dois prémios Sete de Ouro com "Revelação do Ano" e "Melhor Álbum do Ano".

Ao longo da sua carreira recebeu vários Sete de Ouro.

O músico e cantor tem colaborado assiduamente com vários nomes consagrados da cena internacional, nomeadamente B.B.King, Gilberto Gil e Lulu Santos.

A dupla Rui Veloso/Carlos Tê consagrou-se em 1983 com o álbum "Guardador de margens".

"Balada da fiandeira", "A gente não lê", "Porto Côvo", "Porto Sentido" e "Cavaleiro Andante", são temas que os portugueses já cantam.

Em 1990 actuou para 12.000 pessoas no Pavilhão do Dramático, em Cascais, feito nunca antes alcançado por qualquer artistas português.

Em 1991 recebeu em Monte Carlo o Prémio de World Music "Best Selling Portuguese Artist".

Nesta década começou a dedicar-se à produção de discos e integrou projectos musicais como o Rio Grande com Vitorino, Jorge Palma, João Gil, Tim, entre outros.

Em 25 anos Rui Veloso, segundo dados da sua editora, recebeu 25 discos de platina e vendeu mais de um milhão de discos vendidos.

Para assinalar as Bodas de Prata da sua carreira, Rui Veloso conta realizar uma digressão nacional e deve editar o seu primeiro livro de canções, produzido por Mafalda Magalhães, e a jornalista Ana Mesquita assinará a sua primeira biografia autorizada.

A RTP transmitirá um documentário original produzido por Ivan Dias.

A informação mais vista

+ Em Foco

O ministro dos Negócios Estrangeiros considera, em entrevista à Antena 1, que Portugal tem a vantagem de não ter movimentos populistas organizados.

    Segundo um relatório da Amnistia Internacional, o número de mulheres vítimas de violência doméstica em Portugal continua elevado.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.