Uma `curta` sobre imigração, duas distinções e uma futura realizadora de 16 anos

por Lusa

Torres Vedras, Lisboa, 02 jul (Lusa)- O processo de adaptação de uma imigrante à terra de acolhimento e a certeza de todos terem o seu lugar inspiraram "4242", primeira curta-metragem de Sara Eustáquio, 16 anos, recém-distinguida em Israel e nos Estados Unidos.

Aceite na New York Film Academy, que vai frequentar durante os próximos meses, com a segunda `curta` em pré-produção, a estudante de Torres Vedras pertence à chamada "geração do telemóvel", sempre pronto a captar imagens, e disse à agência Lusa que costuma "passar a vida" com a câmara de vídeo atrás, regressando muitas vezes a locais já fotografados, para os filmar.

Há dois anos, um vídeo que fez para um trabalho escolar despertou-lhe o gosto não só pelo registo de imagens, mas também pela sua edição e, em abril deste ano, concluiu a sua primeira curta-metragem, "4242", recém-distinguida no festival BestShorts, de Los Angeles, Estados Unidos, e no Festival Internacional de Cinema Near Nazareth, em Israel.

"Fiquei contente, mas, ao mesmo tempo, surpreendida", disse a `pequena realizadora` à agência Lusa.

A `curta`, que também já foi selecionada para o Josiah Media Festival, que se realiza em outubro, no Texas, inspira-se na experiência da protagonista, a aluna romena Cristina Caldararu, de 18 anos, da mesma escola de Eustáquio, a Secundária Henriques Nogueira, em Torres Vedras.

Residente em Portugal desde 2015, longe da família, para terminar o ensino secundário, com a expectativa de assim poder entrar mais facilmente numa universidade, Cristina Caldararu teve de aprender português em tempo recorde, adaptar-se ao país, criar novos laços.

Colega de turma da Sara Eustáquio, Caldararu escreveu sobre a sua experiência, para um trabalho escolar, e esse texto depressa se tornou no ponto de partida da curta-metragem.

O `trailer` do filme, disponível no You Tube, resume o drama em três frases/princípios, enquanto cruza planos que ora se fixam na `atriz-imigrante`, ora na paisagem ou nos habitantes da localidade de acolhimento: há lugar para todos, sem exceção; todos precisam de encontrar o seu lugar, e esse processo é difícil, ainda mais quando se está sozinho.

Com direção e montagem de Sara Eustáquio, produção de seu pai, Vítor Eustáquio, que também assina a música original, "4242" tem argumento da realizadora, assinado em parceria com Cristina Caldararu e com a escritora de origem holandesa Mae Margriet, segundo a ficha técnica publicada na base de dados de cinema, na Internet (IMDb).

A rodagem efetuou-se em Lisboa, Óbidos, Peniche e Torres Vedras.

O filme venceu o prémio Júnior Revelação (prémio especial do júri para novos valores), em Israel, e uma menção honrosa, na competição de curtas-metragens, no Best Shorts, em Los Angeles.

Segundo a base de dados de cinema, na Internet (IMDb), Sara Eustáquio também foi nomeada para o prémio de Melhor Estudante, no Los Angeles Cinefest, festival norte-americano `online`, em que os filmes em competição são selecionados por especialistas da indústria cinematográfica norte-americana.

O `blog` irlandês The WorthJourney considerou "4242" "uma curta-metragem notável" e o Bucharest ShortCut CineFest, `montra` mensal romena da mais nova produção, na Internet, destacou "a maturidade e a subtileza" da autora.

Sara Eustáquio disse à agência Lusa que está a preparar a segunda curta-metragem, com o objetivo de enriquecer o portefólio, um requisito para se candidatar a um curso de cinema, numa universidade norte-americana, quando terminar o ensino secundário, em Portugal.

pub