Ação do MP contra Câmara do Porto determina embargo de obra na Arrábida

| Economia

A ação do Ministério Público (MP) contra a Câmara do Porto determina o embargo da obra na Arrábida, a "suspensão de licenças e autorizações" e o corte de luz, gás ou água, revela o processo consultado hoje pela Lusa.

No processo que corre termos no Tribunal Administrativo e Fiscal do Porto (TAFP), o MP pede ao juiz que a autarquia seja "condenada a demolir as obras efetuadas a suas expensas" e alerta que, por estarem em causa "invalidades" de atos camarários previstas num decreto-lei de 1999, "a citação ao titular da licença [a empresa Arcada] para contestar a ação tem os efeitos de embargo".

De acordo com a ação, que mereceu despacho da juíza na quinta-feira, a autarquia (réu) e as entidades contrainteressadas no processo (nomeadamente a Arcada) foram notificadas na sexta-feira.

 

Tópicos:

Arrábida,

A informação mais vista

+ Em Foco

Mação, que ardeu no mês passado, era apontado como o concelho modelo na prevenção de incêndios. Nada impediu que o fogo voltasse.

Dois anos depois do grande incêndio de Pedrógão, a floresta continua por ordenar e o Governo conta com pelo menos uma década para introduzir as mudanças necessárias.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.