Acionista da EDP chega a acordo com Odebrecht para compra de central hidroelétrica no Peru

| Economia

Um consórcio liderado pela estatal chinesa China Three Gorges (CTG), maior acionista da EDP, chegou hoje a acordo com a construtora do Brasil Odebrecht para comprar a terceira maior central hidroelétrica do Peru, anunciou a empresa brasileira.

Com uma potência de 456 megawatts, a central hidroelétrica de Chaglla vai ser vendida por 1.400 milhões de dólares (1.190 milhões de euros).

O consórcio liderado pela CTG inclui ainda o fundo de investimento norte-americano ACE e o chinês CNIC.

Situada na região central de Huánuco, próximo da cidade peruana de Tingo María, a central hidroelétrica de Chaglla armazena as águas do rio Huallaga e gera 4% da produção elétrica do Peru.

Fontes próximas da operação citadas pela agência espanhola EFE afirmaram que a Odebrecht vai usar o dinheiro obtido neste negócio para saldar dívidas de 1.200 milhões de dólares.

Os restantes 200 milhões de dólares serão para o Estado peruano como indemnização pelos subornos pagos pela empresa brasileira a funcionários peruanos, entre 2005 e 2014.

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.