Autoridades mandam fechar fábrica responsável por poluição do Rio Almonda

| Economia
Autoridades mandam fechar fábrica responsável por poluição do Rio Almonda

A ver: Autoridades mandam fechar fábrica responsável por poluição do Rio Almonda

A Fabrióleo - fábrica de óleos poluentes que faz descargas para o Rio Almonda - vai mesmo fechar. A decisão foi tomada pelo IAPMEI e pela Agência Portuguesa do Ambiente.

Dia 30 de Janeiro recebeu ordem de encerramento mas até hoje continua a operar porque a lei contempla a possibilidade da contestação da decisão. A RTP sabe que já seguiu queixa para o Ministério Público.

A RTP teve acesso aos documentos das autoridades de saude, ambientais e camarárias que levaram o IAPMEI a declarar o encerramento da Fabrioleo. A decisão surge após uma quinta vistoria.

A empresa de Torres Novas, que se dedica à produção de óleos para rações de aves e produtos da indústria oleoquímica, não irá continuar a operar porque, segundo a Agência portuguesa do Ambiente: "o sistema de tratamento das águas residuais apresenta riscos ambientais decorrentes do elevado potencial de formação de cmpostos de elevada toxicidade e persistencia com impacte negativo nas massas de agua a jusante da descarga".

Além disso, a nova ETAR e lagoa de retenção de efluentes não são autorizadas. A continuação das descargas na linha de água obrigou à comunicação ao Ministério Público. A empresa não apresentou licença de utilização

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.

      Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

        Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.