BPI e Fundação Bancária "la Caixa" atribuem 1ME para apoiar vítimas

| Economia

O BPI e a Fundação Bancária "la Caixa" vão dar um milhão de euros ao apoio de emergência às vítimas do incêndio que começou no sábado em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, anunciaram hoje aquelas instituições.

Em comunicado, estas instituições bancárias indicam que as "ajudas serão dirigidas especialmente ao realojamento e a garantir a cobertura das necessidades básicas das vítimas, de acordo com as prioridades estabelecidas pela administração local".

As entidades ressalvam, contudo, que o donativo poderá ser completado com contribuições de particulares e empresas numa conta aberta pelo BPI através do IBAN PT50 0010 0000 5512 2890 0015 6 (Conta BPI Solidariedade).

Segundo a mesma nota, o BPI vai, ainda, disponibilizar duas linhas de crédito específicas "para apoiar a reconstrução do património físico destruído e a recuperação de atividades económicas no âmbito dos serviços, indústria, agricultura e silvicultura, incluindo o adiantamento dos seguros ou das ajudas públicas, com o objetivo de acelerar o acesso a diferentes vias de financiamento".

Estes pedidos deverão ser apresentados no balcão BPI de Pedrógão Grande, que continua em funcionamento.

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 150 feridos, segundo um balanço divulgado hoje.

O fogo começou em Escalos Fundeiros, e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

Este incêndio já consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

 

Tópicos:

BPI Pedrógão, Figueiró Vinhos Castanheira, IBAN PT BPI, Pampilhosa, Redação,

A informação mais vista

+ Em Foco

A causa do incêndio do Pedrogão Grande terá sido uma linha elétrica de média tensão. Esta é uma das principais conclusões do relatório que o professor Xavier Viegas entregou ao Governo.

Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

    Mário Centeno também deixou no ar a ideia de que, na discussão da especialidade do OE2018, seja posto um ponto final nos cortes do subsídio de desemprego.

    Os governos espanhol e catalão além de estarem de costas voltadas entrincheiraram-se em narrativas de auto-justificação absolutamente incompatíveis entre si.