Bruxelas aprova aquisição da LaudaMotion pela Ryanair

| Economia

|

A Comissão Europeia aprovou sem quaisquer condições a aquisição da companhia aérea austríaca LaudaMotion pela Ryanair, considerando que o negócio não levanta quaisquer questões em matéria de concorrência no Espaço Económico Europeu, foi hoje divulgado.

A decisão diz respeito ao projeto de aquisição do controle exclusivo da LaudaMotion pela transportadora aérea Ryanair.

A LaudaMotion, esclareceu a Comissão Europeia, é a empresa através da qual o ex-piloto de Fórmula 1 Niki Lauda readquiriu, em janeiro de 2018, os ativos da NIKI, a companhia aérea de lazer que criou em 2003 e que, posteriormente, tinha sido integrada na Air Berlin.

Os ativos da NIKI estavam à venda porque, em dezembro de 2017, a Lufthansa decidiu não adquirir a NIKI, tendo esta solicitado, em consequência, a abertura de um processo de insolvência.

A LaudaMotion, registada na Áustria, adquiriu uma grande parte dos ativos da NIKI, tendo começado a explorar uma série de voos regulares de passageiros, principalmente com partidas da Alemanha, Áustria e Suíça para destinos no Mediterrâneo e nas ilhas Canárias.

A Ryanair, com sede na Irlanda, é uma companhia aérea de baixo custo que opera em toda a Europa, nomeadamente em Lisboa, Porto e Faro.

Tópicos:

Alemanha Áustria, Canárias, Fórmula Niki Lauda, LaudaMotion, Ryanair,

A informação mais vista

+ Em Foco

O economista guineense Carlos Lopes considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

    Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.