Com greve à vista. Sindicato do Pessoal de Voo submete novas propostas da TAP a votação

por RTP
Reuters

Os tripulantes da TAP reúnem-se esta segunda-feira em assembleia geral de emergência. A convocatória do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, a que a RTP teve acesso, estabelece, como agenda, a “apresentação, discussão e votação” de novas propostas da companhia aérea.

A assembleia geral do SNPVAC acontece a menos de 48 horas do início de uma greve de sete dias – de 25 a 31 de janeiro.

A RTP apurou que, desde a última assembleia geral, na semana passada, durante a qual os trabalhadores reprovaram a proposta da TAP, a companhia de bandeira tem estado a apresentar novas soluções, na tentativa de alcançar um acordo.
Caso a paralisação avance, espera-se o cancelamento de mais de 1.300 voos. Serão afetados 156 mil passageiros. Os prejuízos diretos e indiretos podem ascender a 68 milhões de euros.

Em comunicado interno, a TAP sustenta ter obtido um “avanço construtivo” nas negociações com o Sindicato do Pessoal de Voo da Aviação Civil. Já esta estrutura admitiu “melhorias”, mas remeteu mais detalhes para a assembleia geral desta segunda-feira.
Antena 1

“Eu diria que prognósticos só no fim do jogo. Mas a verdade é que existe uma proposta melhorada. Caberá à assembleia, que é soberana, decidir se é suficiente ou não”, insistiu o presidente do SNPVAC, Ricardo Penarróias.Os tripulantes estiveram em greve a 8 e 9 de dezembro. A TAP cancelou previamente 360 voos e calculou em oito milhões de euros o impacto negativo na companhia.

Na passada terça-feira, a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, afirmou, em mensagem aos colaboradores, que a TAP iria investir 48 milhões de euros em remunerações “para alívio dos cortes salariais”, tendo registado, em 2022, uma “das maiores receitas da sua história”.

O presidente do sindicato dos tripulantes disse à Lusa que o sentimento de insatisfação dos trabalhadores "é gigante", mas mantém a porta aberta ao diálogo com a empresa.

c/ Lusa
pub