Decisão de não recondução de Miguel Frasquilho na TAP foi governamental

por Antena 1

Direitos Reservados

Foi o Governo que decidiu não reconduzir Miguel frasquinho na presidência do conselho de administração da transportadora aérea portuguesa - TAP.

O ministro das Infraestrturas, Pedro Nuno Santos, justifica a mudança com o início de um novo ciclo.

Miguel Frasquilho está no cargo de presidente do conselho de administração da TAP desde 2017 e deverá ser substituído por Manuel Beja, segundo a proposta que irá à Assembleia Geral convocada para o próximo dia 24 de junho.

Numa carta aos trabalhadores, o presidente cessante afirmou sair com a “tranquilidade do dever cumprido”, explicando que a saída resulta da falta de conjugação de vontades para continuar entre o próprio e o Estado.

“Sairei com a tranquilidade do dever cumprido, de ter sido sempre leal à TAP, ao Estado português, como seu acionista de referência, e a Portugal”, expressou Miguel Frasquilho, numa carta de despedida a que a Lusa teve acesso.
pub