Empresa portuguesa de brinquedos Science4you quer apostar nos investidores de retalho

| Economia

|

O fundador da Science4you, Miguel Pina Martins, disse hoje que a intenção da empresa portuguesa de entrar na bolsa com o lançamento de uma Oferta Pública de Distribuição (IPO) tem como objetivo os investidores de retalho.

"A oferta dirige-se ao retalho em Portugal, especialmente, mas aberto a quem quiser vir de fora", disse Miguel Pina Martins aos jornalistas junto ao `stand` da StartUp Portugal na Web Summit, em Lisboa.

De acordo com o CEO da empresa portuguesa, a aposta está "muito focada nos investidores que conhecem, gostam e consomem a Science4you e que, podem participar no crescimento e futuro da empresa com ações".

A Science4you anunciou hoje a intenção de entrar em bolsa, com o lançamento de uma Oferta Pública de Distribuição (IPO) cujo montante pode atingir os 15 milhões de euros.

Tendo em conta "a tranche pequena", Miguel Pina Martins, sublinhou ainda que para já "não há investidores institucionais".

O responsável justificou a intenção de entrar na Euronext Growth "por ser a forma mais fácil de uma empresa portuguesa fazer uma IPO", mas não coloca de fora a hipótese, de no futuro, chegar ao PSI20.

"Por ser o último antes do [mercado] regular e pelo que o nome indica -- Growth - o que pretendemos, a longo prazo, é que a empresa possa crescer e que as pessoas participem nesse crescimento. Chegar ao PSI20 é uma hipótese, passito a passito, ainda precisamos de saber o que o mercado diz", disse.

Miguel Pina Martins frisou ainda que o facto de a empresa ser cotada "dá holofotes de transparência" o que é "bastante relevante" porque, avançou, parte significativa da operação "é para aumento de capital" de forma a que a empresa cresça mais do que no último ano.

O fundador da Science4you lembrou ainda que a empresa portuguesa "já está em mais de 50 países", nos mercados mais relevantes, e apesar de não estarem implantados, em muitos mais já existem vendas.

"Fazer crescer vendas. É esse também o caminho. A aposta muito clara no `e-comerce` a nível de brinquedos, é uma das coisas mais fácil e com maior cota", sublinhou.

Miguel Pina Martins reconheceu que a empresa "tem um potencial muito grande para crescer", pelo que parte deste investimento é para o `e-comerce`, "um caminho onde se vão vender os brinquedos nos próximos anos".

A Science4you, empresa 100% portuguesa dedicada ao desenvolvimento, produção e comercialização de brinquedos em Portugal, anunciou hoje a sua intenção de lançar uma Oferta Pública de Distribuição (IPO - `Initial Public Offer`) sobre ações representativas do seu capital social e solicitar a respetiva admissão à negociação no sistema de negociação multilateral Euronext Growth.

Segundo adianta em comunicado, o IPO deverá incluir a emissão de novas ações pela Science4you num montante de aproximadamente 8,25 milhões de euros e uma venda parcial de ações já existentes detidas por atuais acionistas da empresa.

Constituída em janeiro de 2008 a partir de um projeto académico de Miguel Pina Martins, a Science4you foi criada no âmbito do Programa FINICIA, com um capital social de 55 mil euros, dos quais 45 mil euros corresponderam a micro capital de risco financiado pela Inovcapital.

A empresa possui atualmente escritórios em Lisboa e no Porto e filiais em Madrid e Londres e, para além do desenvolvimento de brinquedos educativos para crianças e jovens, oferece serviços de organização de festas de aniversário e campos de férias científicos, `workshops` de ciência em escolas e ATLs (atividades de tempos livres) e serviços de formação de jovens e docentes.

Tópicos:

Scienceyou Pina,

A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.