Greve de tripulantes. "Ryanair vai ser chamada à atenção"

por Mário Aleixo - RTP
Os tripulantes da Ryanair estão em greve durante cinco dias Rafael Marchante - Reuters

A presidente do Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), Luciana Passo, disse que o Governo assegurou que a "Ryanair vai ser chamada à atenção" sobre alegadas irregularidades cometidas durante a atual greve dos tripulantes.

A presidente do SNPVAC acrescentou estar "garantido" que "a Ryanair vai ser chamada à atenção nesse sentido", algo que "foi uma promessa do senhor ministro".

De acordo com Luciana Passo, Pedro Nuno Santos também terá concordado que "a substituição de grevistas é intolerável".

Representantes do SNPVAC e o ministro das Infraestruturas e Habitação estiveram reunidos no Ministério, em Lisboa, durante aproximadamente quatro horas.

Os tripulantes da Ryanair começaram quarta-feira uma greve de cinco dias, até domingo, convocada pelo SNPVAC e que conta com serviços mínimos decretados pelo Governo.

O SNPVAC criticou esta decisão e "repudiou veementemente" os serviços mínimos e a fundamentação do Governo para os impor.

A presidente do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), Luciana Passo, afirmou que os interesses dos tripulantes da base de Faro da Ryanair "vão ser acautelados pelo Governo", garantia dada pelo ministro das Infraestruturas.
Num comunicado do dia 1 de agosto, o SNPVAC adiantou que o pré-aviso de greve abrange todos os voos da Ryanair cujas horas de apresentação ocorram entre as 0h00 e as 23h59 dos dias previstos para a paralisação (tendo por referência as horas locais) e os serviços de assistência ou qualquer outra tarefa no solo.

Entretanto, tendo em conta que não houve acordo entre a Ryanair e o sindicato, o Governo decretou serviços mínimos a cumprir durante a paralisação, que abrangem não só os Açores e Madeira, mas também as cidades europeias de Berlim, Colónia, Londres e Paris.

Tópicos
pub