Novo terminal de Cruzeiros de lisboa inaugurado até maio em Santa Apolónia

| Economia
Novo terminal de Cruzeiros de lisboa inaugurado até maio em Santa Apolónia

A ver: Novo terminal de Cruzeiros de lisboa inaugurado até maio em Santa Apolónia

Investir 2,1 a 2,5 mil milhões de euros nos portos nacionais vai criar 12 mil novos postos de trabalho até 2030. A convicção é da ministra do Mar. Ana Paula Vitorino acredita em novos terminais de contentores, mas também na nova gare marítima de Santa Apolónia que será inaugurada até maio e emprestará à capital uma nova capacidade para receber os grandes barcos de passageiros.

Quer Lisboa, quer o Porto, apostam nos seus terminais de navios de cruzeiro.

O Turismo é uma das forças motrizes do crescimento do país. Uma das maiores feiras de cruzeiros do mundo escolheu Lisboa para se realizar no ano. A Seatrade Cruise Med representa uma aposta clara para reposicionar o país neste competitivo mercado.

"Esperamos que, com uma estratégia comercial mais agressiva, o mercado dos cruzeiros possa crescer nos próximos dez anos mais de sessenta por cento no nosso pais", explica a ministra do Mar.

Investir no Porto de Lisboa, em Alcântara, vai permitir também um aumento de duzentos por cento no movimento de contentores.

"Ninguém quer acabar com o movimento de contentores no porto de Lisboa". O novo terminal quer tornar a infraestrutura portuária da capital numa referência internacional.

"Queremos que seja mais eficiente e tenha mais movimentos", afirma no Jornal 2 Ana Paula Vitorino, que lembra que na última década o movimento deste tipo de carga nos portos nacionais cresceu cento e oitenta por cento e que as projeções para os próximos dez anos aponta para um valor ainda maior - duzentos por cento. Para a carga geral as estimativas são um pouco menos robustas, mas ainda assim muito significativas: 88%.

"Há espaço para todos os portos nacionais crescerem neste segmento", afirma a ministra, que garante quer apostar no que chama a "Janela Única Logística" para garantir eficiência a este negócio. A ideia é desburocratizar procedimentos no setor, apostando cada vez mais na digitalização.

"Não faz sentido andar de um lado para o outro de papel na mão a colecionar carimbos quando tudo pode hoje ser feito num portal informático onde os certificados digitais são tão válidos e seguros quanto os carimbos, e onde tudo pode ser feito de uma vez só"., explica no Jornal 2 a ministra.

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.