Petrolífera brasileira funde-se com empresa dos EUA para operações no Golfo do México

| Economia

|

A petrolífera estatal brasileira Petrobras anunciou que a subsidiária Petrobras América Inc-PAI e empresa norte-americana Murphy vão fundir as operações no Golfo do México, com a petrolífera brasileira a encaixar 955 milhões de euros.

De acordo com um comunicado divulgado, na quarta-feira, pela Petrobras, a parceria engloba todos os ativos de produção de ambas as empresas localizados no Golfo do México, a principal região produtora de petróleo nos Estados Unidos.

A Murphy Oil Corporation vai ter uma participação de 80% nas operações e a Petrobras América Inc-PAI terá 20%.

A nova empresa prevê uma produção média estimada de cerca de 75 mil barris de petróleo, nas zonas de águas profundas de Cascade, Chinook, St. Malo, Lucius e Hadrian North, Cottonwood e Adriano Sul, Dalmatian, Front Runner, Clipper, Habanero, Kodiak, Medusa e Thunder Hawk.

A transação de 955 milhões de euros é parte do objetivo da petrolífera estatal brasileira de vender ativos no valor de 18,2 mil milhões de euros.

Do valor total do negócio, a Petrobras vai receber inicialmente 782 milhões de euros, correspondentes à diferença de valor entre os ativos investidos pelas duas empresas. O restante será pago em 2025.

A empresa Murphy já tinha uma participação de 20% em quatro blocos em águas profundas na bacia brasileira de Sergipe-Alagoas.

Tópicos:

Cascade Chinook St Malo Lucius Hadrian North Cottonwood Adriano, Golfo, Petrobras Inc PAI,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

      Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

        Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.