Politécnico da Guarda promove a saúde mental na comunidade académica

por Lusa

O Gabinete de Apoio Psicológico do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) lançou um projeto para promover a saúde mental e o bem-estar da comunidade académica.

Segundo o IPG, o projeto "Desenvolver - Comunicar - Agir os 5 F`s da Guarda" será executado neste ano letivo e envolverá "mais de 100 pessoas entre estudantes, docentes e não docentes" daquela instituição de ensino superior.

"Os diversos confinamentos impostos pela pandemia da covid-19 vieram criar dificuldades de interação na sociedade em geral, mas, sobretudo, entre os mais jovens. Este projeto foi criado precisamente para facilitar a interação e o convívio", explicou Odília Cavaco, psicóloga mentora do projeto e docente do IPG.

De acordo com a responsável, há uma preocupação do Gabinete de Apoio Psicológico do IPG "em facilitar a comunicação e em criar elos de ligação na comunidade académica".

"Neste sentido, iremos desenvolver `workshops`, tertúlias, peças de teatro e atividades desportivas, para promover o convívio e combater sintomas de solidão, depressão e ansiedade", adiantou.

O projeto "Desenvolver - Comunicar - Agir os 5 F`s da Guarda" foi inspirado nos 5 F`s que estão associados à Guarda e as várias atividades foram divididas em cinco vertentes: Fiel (literacia em saúde), Formosa (arte), Forte (cidadania), Fria (atividade lúdica e desportiva) e Farta (saúde).

O IPG adiantou que o projeto foi uma das três iniciativas premiadas da primeira edição do programa "FLAD/OPP -- Saúde Mental no Ensino Superior" da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP).

O júri do concurso (composto por Ana Isabel Lage Ferreira, membro da direção da Ordem dos Psicólogos Portugueses, Ângela Maia, docente na Universidade do Minho, e Maria da Conceição Bento, diretora-geral do Ensino Superior) considerou que a iniciativa vai ao encontro dos problemas dos estudantes e revela o empenho da instituição em atenuar as dificuldades sentidas.

O projeto do IPG ficou entre os três vencedores, juntamente com a Universidade da Madeira e o Instituto Politécnico de Viana do Castelo, tendo recebido um financiamento de cerca de 33 mil euros.

"O Politécnico da Guarda vê, mais uma vez, reconhecido o seu empenho em criar soluções para combater problemas que afetam a nossa sociedade, neste caso a saúde mental", afirmou Joaquim Brigas, presidente do IPG.

O responsável referiu que, através deste projeto, o IPG irá "recorrer às competências dos estudantes e professores para contribuir não só para o bem-estar da academia, mas de toda a comunidade da Guarda".

O IPG tem quatro escolas superiores: Tecnologia e Gestão; Saúde; Educação, Comunicação e Desporto; Turismo e Hotelaria (Seia).

 

pub