Preços dos produtos na Venezuela subiram 128,4% em junho

| Economia

A inflação acumulada entre janeiro e junho de 2018 atingiu o valor de 4.684,3%
|

Os preços dos produtos continuam a subir na Venezuela, país onde a inflação do passado mês de junho foi de 128,4%, segundo dados divulgados hoje pela Comissão de Finanças do parlamento.

"A inflação de junho foi 128,4%. A inflação acumulada entre janeiro e junho de 2018 atingiu o valor de 4.684,3%", disse o porta-voz daquela comissão.

Durante uma conferência de imprensa, Alfonso Marquina explicou que "a inflação diária na Venezuela é de 2,8%, ou seja, há uma inflação, todos dos dias, superior à do Chile ao longo de todo o ano".

Por outro lado, adiantou que "a inflação inter-anual" correspondente ao período entre "junho de 2017 e junho de 2018, situou-se no valor de 46.305% (quarenta e seis mil trezentos e cinco por cento)".

Na Venezuela, a população queixa-se todos os dias dos altos preços dos produtos e de que o salário mínimo mensal, com todos os subsídios incluídos, afixado pelo Governo em 5.600.000 bolívares, que equivalem a 42,3 euros ao câmbio oficial e 1,36 euros no mercado paralelo.

O preço atual do quilograma de carne ronda os 6.000.000 de bolívares, um quilograma de massa 2.800.000 bolívares, uma margarina 2.500.000 e meio quilograma de café mais de 9.000.000.

A informação mais vista

+ Em Foco

A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

O economista guineense Carlos Lopes, em entrevista à RTP, considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.