Primeira fase de retirada de contentores da Bobadela até final de 2022 - Câmara de Loures

por Lusa

A primeira fase do processo de deslocalização do terminal de contentores da Bobadela, em Loures, vai ocorrer até ao final de 2022, para permitir a realização da Jornada Mundial de Juventude (2023), adiantou hoje o presidente do município.

O terminal de contentores integra o Complexo Ferroviário da Bobadela, localizado no designado "Parque Tejo", que abrange território do concelho de Loures e de Lisboa, e que em 2023 será palco das Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ).

O Governo aprovou esta tarde, em Conselho de Ministros, um conjunto de procedimentos preparatórios para a JMJ, nos quais se inclui a criação de um grupo de projeto e o estabelecimento de um calendário para a relocalização definitiva do Complexo Logístico rodoferroviário da Bobadela.

Questionado pela agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Loures, Bernardino Soares (CDU), destacou a importância da retirada daquela infraestrutura, não só para a realização do evento como também para a reabilitação daquele espaço.

"Foi finalmente tomada a decisão de aquele terminal de mercadorias ser deslocalizado para outro sítio, permitindo recuperar toda aquela zona ribeirinha de volta para as populações e garantir melhores condições de sustentabilidade", sublinhou.

Bernardino Soares referiu que a calendarização para a retirada dos contentores da Bobadela já foi definida e que terá o seu término no final de 2026.

Segundo adiantou o autarca, a primeira fase terá início na zona sul do complexo, estando concluída no final de 2022.

Posteriormente, será retirada "provisoriamente" (para a realização da JMJ) os contentores da área central, ocorrendo a retirada definitiva em 25 de abril de 2024.

A terceira e última fase deste processo (zona norte do complexo) irá ocorrer até ao final de 2026.

"Naturalmente nós gostaríamos que tudo fosse mais cedo, mas penso que um cronograma estabelecido como está nos permite, a partir de agora, garantir junto do Governo que este plano de trabalhos que se vai concretizar e que devolverá toda aquela zona ao uso público e à população de Loures", reiterou.

Bernardino Soares adiantou ainda que a Câmara de Loures está a trabalhar com a de Lisboa numa "planificação conjunta de toda a zona ribeirinha do Rio Trancão", para que ali se faça "uma continuação" do processo de requalificação decorrente da Expo 98.

"Esta decisão abre possibilidade de podermos concretizar esse anseio, requalificar aquela zona, devolvê-la à população e ali ficará, ainda melhor, o passeio ribeirinho que já temos em concurso de empreitada", atestou.

A Jornada Mundial da Juventude é o maior evento organizado pela Igreja Católica.

O anúncio da escolha de Lisboa para receber a JMJ foi feito em 27 de janeiro de 2019, na Cidade do Panamá.

Inicialmente prevista para agosto de 2022, a pandemia de covid-19 determinou o adiamento da JMJ um ano.

Portugal será o segundo país lusófono, depois do Brasil, a acolher uma Jornada Mundial da Juventude, criada em 1985 pelo papa João Paulo II (1920-2005).

Tópicos
pub