Produção da Autoeuropa pode parar já esta semana por tempo indeterminado

| Economia

|

A produção da Autoeuropa está por um fio. Administração alemã da Volkswagen está a perder a paciência com o impasse no Porto de Setúbal, o que pode levar já esta semana a uma paragem na produção por tempo indeterminado.

A RTP apurou que o descontentamento da Alemanha é tanto que administração do grupo Volkswagen quer encontrar-se com primeiro-ministro António Costa.Já são mais de 22 mil os carros estacionados no terminal de Setúbal, nos parques da fábrica e na base aérea do Montijo.

A empresa alemã quer uma garantia: ou o Governo garante à Volkswagen que o Porto de Setúbal volta à normalidade ou os motores que estão a chegar à Autoeuropa poderão ser desviados para a fábrica de Navarra.

E se isso acontecer, a Autoeuropa pára muito antes da pausa programada por causa do Natal de passagem de ano, prevista entre 22 de dezembro e 4 de janeiro.

A unidade espanhola está parada por falta de motores. E dentro da Volkswagen, há uma lista de fábricas prioritárias no caso de ser preciso escolher para onde vão os componentes automóveis.Os estivadores precários não trabalham desde o dia 5 de novembro e, por isso, o terminal da Autoeuropa no Porto de Setúbal está praticamente parado.

A fábrica de Palmela é até agora considerada prioritária para receber motores devido ao grande volume de encomendas internacionais para o novo modelo T-ROC.

Se a Autoeuropa parar, as empresas fornecedoras do Parque Industrial vão atrás.

O braço de ferro no Porto de Setúbal já dura há mais de um mês.

O Governo sentou operadores portuários, empresas de trabalho portuário e sindicato de estivadores à mesma mesa, mas ainda não foi possível chegar a um acordo com ponha fim ao protesto dos estivadores precários.

Uma das condições exigidas pelas empresas para chegar a acordo é o fim da greve às horas extraordinárias.

O sindicato dos Estivadores não só não cedeu nessa exigência como anunciou esta quarta-feira o prolongamento dessa greve por tempo indeterminado.

Tópicos:

António Costa, Estivadores, Palmela, Porto de Setúbal, Volkswagen , paragem, Autoeuropa,

A informação mais vista

+ Em Foco

Francisco Veloso, reitor da Imperial College Business School, traça os cenários possíveis após a rejeição do acordo.

O presidente da Câmara dos Comuns é, digamos assim, o equivalente ao presidente da Assembleia da República em Portugal.

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.