PS e Bloco de Esquerda anunciam acordo para combate à precariedade laboral

| Economia

PS e Bloco de Esquerda anunciaram hoje ter chegado a acordo para o reforço dos mecanismos de combate aos falsos recibos verdes e a todas as formas de trabalho não declarado, incluindo voluntariado e estágios fraudulentos.

As duas bancadas parlamentares subscrevem um texto de substituição conjunto, diploma que depois será votado na Assembleia da República.

De acordo com o coordenador do PS para a área do Trabalho e da Segurança Social, Tiago Barbosa Ribeiro, este diploma representa "um enorme avanço para a proteção dos trabalhadores, disciplinando e moralizando os vínculos laborais que estão ocultados por formas atípicas e de trabalho não declarado".

Ainda segundo o dirigente socialista, o acordo alcançado "reforça também o papel da Autoridade para as Condições de Trabalho e garante a impossibilidade de despedimento do trabalhador desde o auto de inspeção até à notificação da decisão".

Em comunicado, a bancada socialista refere que a matéria de combate à precariedade faz parte do acordo político celebrado entre o PS e o Bloco de Esquerda, em novembro de 2015, para a constituição do atual Governo.

Especificamente para a área laboral, PS e Bloco de Esquerda criaram um grupo de Trabalho para a preparação de um plano de combate à precariedade, integrando dirigentes destes dois partidos, académicos da área de justiça laboral e de um membro do Governo com tutela na área do emprego.

A informação mais vista

+ Em Foco

Em 260 episódios, o projeto chegou às mais diversas áreas: saúde, engenharias, astronomia, tecnologia, química, história, filosofia, desporto ou geografia.

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.