Ministra da Saúde assegura que cirurgias adiadas podem ser recuperadas no primeiro trimestre deste ano

| Entrevistas
Ministra da Saúde assegura que cirurgias adiadas podem ser recuperadas no primeiro trimestre deste ano

A ministra da Saúde garante que já começaram a ser remarcadas algumas das 7700 cirurgias que foram adiadas, devido à greve dos enfermeiros nos blocos operatórios. Em entrevista à Antena 1, Marta Temido assegura que, se a paralisação não for retomada, existem condições para realizar todas estas cirurgias, durante o primeiro trimestre do ano, apenas no Serviço Nacional de Saúde, sem recurso ao sector privado.

Quanto às negociações com os sindicatos de enfermeiros, Marta Temido diz que “não é possível fazer tudo dentro do exercício desta legislatura” e que a criação da categoria de enfermeiro especialista vai custar 21 milhões de euros ao Orçamento do Estado.

O governo já tomou medidas para diminuir os tempos de espera das consultas de espacialidade, depois de ter pedido um plano de ação aos presidentes das Administrações Regionais de Saúde. A metodologia vai ser: reforçar equipas de recursos humanos, procurar hospitais que possam partilhar recursos, e por fim, redirecionar doentes.

Pode ver aqui esta entrevista de Marta Temido a Nuno Rodrigues:

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Milícias separatistas apoiadas e armadas pelos Emirados Árabes Unidos tomaram a capital do sul, reforçando a sua posição face aos antigos aliados sauditas.

    Dois anos depois do grande incêndio de Pedrógão, a floresta continua por ordenar e o Governo conta com pelo menos uma década para introduzir as mudanças necessárias.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.