Sobrinho Simões lamenta degradação do ensino da medicina

| Entrevistas
Sobrinho Simões lamenta degradação do ensino da medicina

Sobrinho Simões, professor, médico mas sem doentes, Prémio Pessoa, Prémio Ciência Viva, o patologista mais influente do mundo, lamenta em entrevista à Antena1 a degradação do ensino da Medicina em Portugal.

Na opinião deste clínico, essa degradação acontece por causa da falta de dinheiro, de organização e "a lógica do consumismo médico (os exames e as TAC), da produtividade e das consultas externas" que ainda não foi invertida por este Governo.

Em entrevista à jornalista Maria Flor Pedroso elogia uma boa ideia do Ministério da Saúde que, no entanto, esbarrou na falta de dinheiro. A ideia era, "finalmente articular as faculdades de medicina com os hospitais e institutos de investigação" e proporcionar aos médicos 30 por cento do tempo para investigar. Isto obrigaria a que o Ministério da Saúde colocasse mais 30 por cento de médicos nos hospitais. "Só que o Ministério não tem dinheiro para isso e estamos a piorar o ensino médico".


Sobrinho Simões identifica ainda o problema de a Universidade não reconhecer as faculdades de Medicina como mais caras do que as outras.

Tal como está não haverá mais Sobrinhos Simões no sector público. Apesar de várias vezes convidado nunca aceitou ir para o privado porque "não fazia sentido, sou um funcionário público típico".

Na opinião de Sobrinho Simões a corporação dos médicos é fortíssima, "desprestigiou os médicos de família, agora queremos e não temos".

Os maiores problemas de saúde pública em Portugal são: a diabetes e a obesidade. Aqui ao lado em Espanha com a mesma carga genética não é assim.
À margem da medicina

À margem da medicina revelou que conhece muito bem Rui Rio "que cumpriu sempre o que prometeu comigo" e revela que Durão Barroso queria que ele fosse seu ministro da Ciência.

Foi Rui Rio que o abordou e Sobrinho Simões lembrou que "apesar de ser independente é amiguinho do PS" ao que o novo líder do PSD retorquiu "isso não interessa nada".

Sobrinho Simões não aceitou porque "seria um mau ministro e eu sou muito orgulhoso".

Uma entrevista para ouvir na integra este sábado, depois das 12h00, na Antena 1.

A informação mais vista

+ Em Foco

O Estado de Kerala, na Índia, está a enfrentar as piores cheias do último século. As chuvas torrenciais fizeram 350 mortos e deixaram cerca de 350 mil pessoas desalojadas.

    Os depósitos foram descobertos nas regiões polares. Se houver gelo suficiente na superfície, a água poderá ser utilizada em futuras missões ao satélite natural.

    Ocupou durante 60 anos vários cargos nas Nações Unidas e viria a deixar a sua marca na história da organização. Kofi Annan morreu em Berna aos 80 anos.

    Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.