Nuno Melo considera que "se o CDS tivesse ido a votos sozinho", os resultados do partido seriam melhores do que em 2022

por RTP

“Se o CDS tivesse decidido ir a votos sozinho, não tenho dúvidas de que seria muito melhor do que em 2022”, disse Nuno Melo em entrevista à RTP, considerando que o partido “aprendeu com os erros” e está agora mais unido.

O presidente do CDS destaca a coligação da AD como um acordo “quase patriótico” que fez com que “o PS e PS e as esquerdas fossem derrotados”.

“O CDS acrescentou muito a esta coligação”, afirmou.

Sobre as declarações de Pedro Passos Coelho, que revelou que a Troika considerava que Paulo Portas não era de confiança, Nuno Melo disse não estar interessado “em discutir questões de 2014”.

“Aquilo que se conseguiu nesse governo foi patriótico e Portugal deve ao PSD e ao CDS o fim de um ciclo de intervenção externa da Troika e a devolução da sanidade às contas públicas”, destacou.
pub