Ataque russo em Kharkiv provoca seis feridos

por Cristina Sambado - RTP
Sergey Kozlov - EPA

Mísseis russos danificaram edifícios residenciais e feriram seis pessoas na segunda maior cidade da Ucrânia, Kharkiv, na madrugada desta quarta-feira. Na região russa de Smolensk, a cerca de 400 quilómetros da fronteira ucraniana, várias instalações de energia estão em chamas, após ataques com drones.

O ataque russo danificou três edifícios residenciais, dois escritórios, três edifícios não residenciais e um gasoduto no distrito central da cidade, segundo revelou o governador de Kharkiv, Oleh Synehubov, na rede social Telegram. Cerca de 568 janelas e 33 carros foram danificados, acrescentou Synehubov.

A agência noticiosa estatal russa RIA noticiou esta quarta-feira, citando fontes não identificadas dentro das forças russas, que o ataque atingiu os alojamentos dos soldados em Kharkiv, onde os militares ucranianos estavam estacionados. Já o presidente da câmara da cidade, Ihor Terekhov, disse à televisão ucraniana que foram utilizados dois mísseis S-300 no ataque, mas que não causaram danos significativos nas áreas residenciais da cidade.

Terekhov acrescentou que o trabalho para reparar o gasoduto continua e que as autoridades estão a tentar restaurar o fornecimento de gás na área afetada, pelos ataques desta quarta-feira.
Instalações de energia de Smolensk em chamas
Várias instalações de energia incendiaram-se esta quarta-feira na região russa de Smolensk, a cerca de 400 quilómetros da fronteira ucraniana, após ataques com drones, revelou o governador regional, Vasily Anokhin.

“A nossa região foi mais uma vez alvo de ataques de drones ucranianos”, escreveu o governador no Telegram. “Muito provavelmente, em resultado do ataque inimigo a locais de infraestruturas energéticas civis, onde deflagraram incêndios”, sublinhou o governador, sem dar mais pormenores sobre os locais afetados. O ataque não causou vítimas, acrescentou.
Nos últimos meses, o exército ucraniano intensificou os seus ataques com drones em território russo, visando sobretudo instalações energéticas.
O Ministério russo das Situações de Emergência enviou equipas de salvamento para o local.

Outro ataque de drones esta quarta-feira teve como alvo a zona económica especial na cidade de Lipetsk, também a cerca de 400 quilómetros da fronteira ucraniana, mas mais a sul, que alberga uma série de empresas metalúrgicas e farmacêuticas, afirmou o governador da região, Igor Artamonov, no Telegram.

“O regime criminoso de Kiev tentou atacar as infraestruturas da zona industrial de Lipetsk”, acrescentou Artamonov. O governador, que não revelou se o ataque provocou vítimas, garantiu que as zonas residenciais não estavam ameaçadas.

Kiev já reivindicou os ataques às instalações energéticas na região russa de Smolensk, que armazenavam 26 mil metros cúbicos de combustível.

c/ agências
Tópicos
pub