Em direto
Zelensky visita Portugal com acordo de cooperação militar na agenda

Força Aérea ucraniana afirma que abateu bombardeiro russo

por Cristina Sambado - RTP
Ataque russo danificou vários andares de um edifício residencial em Dnipro State Emergency Service via EPA

A Força Aérea ucraniana anunciou esta sexta-feira ter abatido um bombardeiro russo Tu-22-M23 de longo alcance, o que acontece pela primeira vez desde o início da invasão lançada por Moscovo. Na última noite, a Rússia disparou 22 mísseis e 14 drones explosivos contra a Ucrânia, 29 dos quais foram abatidos.

Segundo a Força Aérea ucraniana, foi abatido um bombardeiro estratégico russo Tu-22M, o primeiro desde o início da invasão lançada por Moscovo.

"Pela primeira vez, unidades de mísseis antiaéreos da Força Aérea, em cooperação com os serviços de informação de defesa da Ucrânia, destruíram um bombardeiro estratégico de longo alcance Tu-22M3, um portador de mísseis de cruzeiro Kh-22 usados por terroristas russos para atacar cidades ucranianas pacíficas”, acrescentou o comandante no Telegram.

Segundo os serviços de informação militares ucranianos (GUR), o avião russo "foi abatido na sequência de uma operação especial levada a cabo pelos serviços de informação de defesa ucranianos em cooperação com a Força Aérea".O impacto no ar teve lugar "a uma distância de cerca de 300 quilómetros da Ucrânia", utilizando "os mesmos meios que os utilizados para abater o avião russo de deteção e controlo de radar de longo alcance A-50".

"O bombardeiro conseguiu voar até à região de Stavropol, onde se despenhou", acrescentou a fonte.

O Ministério russo da Defesa não confirmou que a Ucrânia tenha disparado contra um dos seus aviões, mas uma fonte do exército disse à agência noticiosa estatal TASS que um bombardeiro supersónico Tupolev-22M3 "se despenhou na região de Stavropol"
. Moscovo refere a morte de um tripulante na queda de um avião na sequência de uma "falha técnica", sem especificar se se tratava do mesmo avião.

Segundo a mesma fonte, o avião não tinha armas a bordo.

O governador da região de Stavropol, no sul da Rússia, declarou que um Tupolev-22M3 se tinha despenhado na zona após um incidente "técnico", matando pelo menos "um membro da tripulação".

"Um avião caiu nos campos do distrito de Krasnogvardeiskii", escreveu Vladimir Vladimirov no Telegram. "De acordo com os dados preliminares, o acidente foi causado por uma falha técnica", acrescentou, sem dar mais pormenores.

Dois outros membros da tripulação do avião, um Tu-22M3, foram encontrados com vida, e os serviços de emergência ainda estão à procura do quarto, acrescentou.

O distrito de Krasnogvardeiskii, onde o avião russo se despenhou, fica a cerca de 300 quilómetros da fronteira ucraniana.
Rússia lançou 36 mísseis e drones durante a noite
A Rússia disparou 22 mísseis e 14 drones explosivos contra a Ucrânia durante a última noite, revelou a Força Aérea ucraniana, que acrescenta ter abatido 29 destes dispositivos.

Dos dez mísseis de cruzeiro e 12 mísseis guiados, 15 foram abatidos, assim como todos os drones explosivos "Shahed", afirmou o comandante da força aérea ucraniana, Petro Olechtchouk, no Telegram.

Na região central de Dnipropetrovsk, onde oito pessoas morreram, o ataque russo danificou vários andares de um edifício residencial e uma estação de comboios na capital regional, Dnipro, revelou o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, que volta a apelar ao ocidente para enviar defesas aéreas adicionais.
"A Rússia deve ser responsabilizada pelo seu terror, e todos os mísseis e todos os Shahed devem ser abatidos", afirmou Zelensky. "O mundo pode garantir isso e os nossos parceiros têm as capacidades necessárias."
A empresa estatal ucraniana de caminhos-de-ferro Ukrzaliznytsia frisou que o ataque da Rússia visou deliberadamente as infraestruturas ferroviária na região. A empresa encerrou a sua estação em Dnipro e desviou os comboios que iam passar pela cidade.

O governador da região russa de Belgorod, Vyacheslav Gladkov, revelou que 25 projéteis ucranianos foram abatidos perto da cidade, que faz fronteira com a Ucrânia, Não há registo de feridos, mas vários edifícios ficaram danificados.

c/ agências
Tópicos
pub