Volodymyr Zelensky em Bruxelas antes de viajar para Lisboa

por Lusa

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, vai assinar um acordo bilateral de segurança com o primeiro-ministro da Bélgica na manhã de terça-feira, em Bruxelas, antes de viajar para Lisboa para firmar um acordo com Portugal, segundo fontes governamentais.

Zelensky vai viajar para Bruxelas na manhã de terça-feira para assinar um acordo bilateral de segurança com o chefe de governo belga, Alexander De Croo, adiantaram as mesmas fontes à Lusa.

Não foram transmitidas informações sobre o conteúdo do acordo, exceto que está relacionado com a segurança.

Estão previstas declarações do chefe de Estado ucraniano e de De Croo no final da assinatura.

No mesmo dia, Volodymyr Zelensky vai viajar para a Lisboa para firmar um acordo com o primeiro-ministro português, Luís Montenegro, e também vai encontrar-se com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Espanha vai entregar à Ucrânia ajuda militar no valor de mais de mil milhões de euros, anunciou hoje o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, no âmbito da visita oficial a Madrid de Zelensky.

O acordo de segurança assinado entre os dois países "inclui um compromisso de ajuda militar para 2024 de mil milhões de euros que vai permitir à Ucrânia reforçar as suas capacidades", declarou Sánchez durante uma conferência de imprensa comum com o homólogo ucraniano.

O chefe do Governo espanhol referiu-se a um acordo de "grande transcendência" assente em três vetores, centrando-se na entrega de mísseis Patriot para a defesa antiaérea e de tanques Leopard.

O Presidente da Ucrânia confirmou durante a sua visita a Espanha - que esteve prevista para 17 de maio, mas foi cancelada - que irá visitar Portugal, onde é esperado ao início da tarde.

A deslocação de Zelensky ocorre numa fase em que a Rússia intensificou a sua ofensiva no leste da Ucrânia e abriu desde o início de maio uma nova frente de combate no nordeste, na região de Kharkiv, que se somam aos bombardeamentos intensivos contra infraestruturas vitais do país e que atingem também alvos civis.

O líder ucraniano continua a pedir insistentemente apoio militar aos seus aliados ocidentais para contrariar a superioridade russa em efetivo, armamento e munições.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Rangel, disse hoje que um acordo vai ser assinado na terça-feira na presença do Presidente da Ucrânia, que sistematiza todo o apoio prestado por Lisboa nos últimos dois anos e abrange os próximos dez.

"Foi concluído, há cerca de três semanas, o acordo político entre Portugal e a Ucrânia que é um acordo bilateral em todas as áreas em que cooperámos nestes dois anos", disse Paulo Rangel em Bruxelas, no âmbito de uma reunião ministerial.

O acordo, assinado por ocasião da visita do Presidente da Ucrânia, inclui a "assistência humanitária, financeira, militar, política" no que diz respeito ao processo de integração na União Europeia.

Tópicos
pub