Alzheimer. Medicamento experimental atrasa declínio cognitivo

por RTP

Há um novo medicamento que pode atrasar a doença de Alzheimer, se estiver numa fase inicial. Os cientistas celebram esta descoberta com alguma prudência, por causa dos efeitos secundários do fármaco.

Mas todos reconhecem que se trata de um medicamento "revolucionário" que pode vir a %u200B%u200Bmudar o curso deste tipo de demência, que afeta mais de 35 milhões de pessoas em todo o mundo.
pub