Amazónia brasileira ardeu em fevereiro como nunca nos últimos 25 anos

por Cristina Santos - RTP
Na comparação com fevereiro de 2023, o número de incêndios registado em fevereiro de 2024 é quatro vezes maior. Sigit Prasetya via Reuters Connect

São quase 3.000 incêndios florestais que dão ao mês de fevereiro de 2024 o recorde de fogos registados em todos os meses de fevereiro desde 1999, ano em que começaram a ser feitos registos.

As imagens de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) contabilizam 2.940 incêndios em fevereiro. Isto corresponde a mais 67% do que os 1.761 registados em fevereiro de 2007, o mês que tinha o recorde anterior.

Na comparação com fevereiro de 2023, o número de incêndios registado em fevereiro de 2024 é quatro vezes maior. 

Os valores registados pelas autoridades brasileiras, relativos a janeiro deste ano, são quase tão assustadores.
A área destruída pelo fogo na Amazónia aumentou 266% em relação a janeiro de 2023.

O aumento da área ardida na Amazónia deve-se, em especial, ao que aconteceu no Estado brasileiro de Roraima, na fronteira com a Venezuela. Aqui a terra queimada, em janeiro, aumentou 250%.

Visto de outra forma, a área destruída pelos incêndios em Roraima equivale a 40% de todo o país.

A Amazónia, a maior floresta tropical do planeta, é um dos ecossistemas mais importantes do mundo para estabilizar o clima do planeta perante a ameaça que representa o aquecimento global.
Tópicos
pub