Apoiantes de Trump revoltados com rusga do FBI à casa de Mar-a-Lago

por RTP
Cristobal Hherrera-Ulashkevich - EPA

Vários apoiantes de Donald Trump exigem uma explicação para a rusga do FBI à casa do ex-Presidente em Mar-a-Lago, na Florida. Os republicanos descrevem a investigação como uma motivação política.

A Polícia Federal (FBI, na sigla em inglês) e o Departamento de Justiça ainda não comentaram as buscas. Foi a primeira vez que a residência de um ex-Presidente norte-americano foi revistada pelas autoridades.

As buscas foram aprovadas ao mais alto nível do Departamento de Justiça (DoJ).

Mike Pence, o antigo vice-Presidente de Trump, pediu explicações ao procurador-geral dos motivos pelos quais o mandado de busca foi executado.

“Partilho a grande inquietação de milhões de (norte-)americanos depois da busca sem precedente na residência privada do presidente Trump”
, escreveu Pence na rede social Twitter.
“Nenhum ex-Presidente dos Estados Unidos foi sujeito a uma busca na sua residência pessoal na história dos EUA”, acrescentou.

Pence e Trump podem disputar a nomeação republicana para a candidatura às presidenciais em 2024.


Na terça-feira, Donald Trump afirmou que ele e outros republicanos estavam a ser alvo de perseguição pública devido à sua influência política ao “domínio nas sondagens”.

“Estão a impedir o Partido Republicano e eu mais uma vez. A ilegalidade, a perseguição política e a caça às bruxas devem ser expostas e travadas”, afirmou o ex-presidente numa recolha de fundos em New Jersey.

Várias sondagens feitas sobre a intenção de voto, mostraram que, embora Trump tenha mantido a primazia no partido, um número significativo de republicanos afirmam que não o defendem numa ação de vingança contra o presidente Biden.
Não é conhecida nenhuma acusação Donald Trump está envolvido em várias investigações civis, criminais ou parlamentares, sendo o mais recente episódio as buscas realizadas na segunda-feira pelo FBI à sua residência em Mar-a-Lago.

Até ao momento, ainda não é conhecida nenhuma acusação contra o magnata republicano, potencial candidato às presidenciais de 2024.

As buscas podem estar relacionadas ao tema do arquivamento por Trump de documentos relacionados com a sua presidência.

A lei obriga o chefe de Estado dos EUA a enviar todos os seus emails, cartas e outros documentos de trabalho para o Arquivo Nacional.

No entanto, quando o republicano abandonou a Casa Branca, levou quinze caixas de documentos, que os funcionários do Arquivo Nacional tiveram que recuperar em janeiro, já em Mar-a-Lago.

A polícia federal pediu aos tribunais norte-americanos a abertura de uma investigação sobre estes factos, que ainda não deram origem a nenhum processo.
Biden soube das buscas pela comunicação social O atual Presidente dos EUA, Joe Biden, não teve conhecimento prévio das buscas feitas pelo FBI à mansão do seu antecessor no cargo, evento de que tomou conhecimento pela comunicação social.

Esta informação foi garantida pela porta-voz da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, durante o encontro diário com jornalistas.

Sem dar detalhes sobre “uma investigação em curso”, a porta-voz, quando questionada sobre as acusações dos republicanos de que Trump estava a ser vítima de perseguição política, respondeu que Biden “respeita o Estado de Direito”, insistindo em que “o Presidente não estava informado [das buscas]."

"Ninguém na Casa Branca foi avisado”, afirmou.

Karine Jean-Pierre realçou que se trata de uma investigação independente e não se pronunciou sobre o motivo das buscas que, segundo alguns meios, estão relacionadas com os documentos oficiais que Trump levou consigo quando saiu da Casa Branca.

“O Presidente soube das buscas do FBI por informações públicas, à semelhança de todos os (norte-)americanos, porque não foi avisado previamente. O Presidente Biden tem sido muito claro, durante o seu mandato, quanto ao facto de o Departamento de Justiça fazer as suas investigações de forma independente”, vincou.
pub