ÚLTIMA HORA
Euro2024. Espanha é Campeã da Europa ao bater na final a Inglaterra por 2-1

Arábia Saudita e Emirados transferiram armamento dos EUA para al-Qaeda

por RTP
Khaled Abdullah, Reuters

A Arábia Saudita e os seus parceiros de coligação transferiram armas americanas para grupos ligados à al-Qaeda e para outras fações da guerra no Iémen, violando os seus acordos com os Estados Unidos da América.

Após as revelações da CNN, o Departamento de Defesa dos EUA afirma que a coligação saudita, ao distribuir este armamento, está a violar os termos do acordo com os EUA, e adianta ainda que está a ser feita uma investigação sobre o facto.

De acordo com as investigações da CNN, as armas dos EUA foram usadas em ataques sauditas que mataram dezenas de civis.
Corroborando a investigação da CNN, a cadeia de televisão qatari Al Jazeera mostrou que as armas foram também utilizadas por rebeldes hutis.

“Os Estados Unidos não autorizaram a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos a transferir nenhum equipamento para os partidos do Iémen”, afirmou o porta-voz do Pentágono, Johnny Michael, à CNN.
A Arábia Saudita e os EAU entraram na Guerra do Iémen em 2015, liderando uma coligação militar para fazer reconhecer internacionalmente o governo do Presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi.

De acordo com revelações da CNN, a Arábia Saudita tem a possibilidade de continuar a comprar armamento sofisticado dos EUA e outros equipamentos militares.

Os Estados Unidos são o maior fornecedor de armamento da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos, e apoiam a continuação da coligação saudita na guerra, segundo a CNN. O fornecimento de armas por parte dos EUA para o conflito já foi responsável pela morte de milhares de civis.

Os legisladores americanos estão a elaborar uma resolução que acabe com o apoio à coligação por parte da administração Trump.

No ano passado, após o assassinato de Jamal Khashoggi, Trump afirmou que seria “insensato” terminar com os acordos com a Arábia Saudita. “Não quero perder todo o investimento que está a ser feito pelo nosso país”.
PUB