Dezenas de mortos em ataque a mesquitas na Nova Zelândia

| Mundo

O ataque às mesquitas obrigou a polícia a uma ação rápida para tentar pôr cobro à violência
|

Um atentado contra duas mesquitas na Nova Zelândia provocou esta sexta-feira pelo menos 49 mortos. A polícia deteve quatro pessoas e desativou explosivos que se encontravam num carro no centro da cidade de Christchurch.

O último balanço aponta para 49 vítimas mortais e mais de quatro dezenas de feridos. Sobre os detidos sabe-se apenas que são três homens e uma mulher.A polícia classifica os acontecimentos desta sexta-feira como ataque terrorista, indicou a agência de Associated Press.

Dez das vítimas foram abatidas na mesquita Linwood Masjid e outras 30 na mesquita de Al Noor, perto de Hagley Park.

Um homem que se identificou como Brenton Tarrant, de 28 anos, nascido na Austrália, reivindicou a responsabilidade pelos disparos e transmitiu em direto na Internet o momento do ataque. Tarrant deixou um manifesto anti-imigrantes de 74 páginas, no qual procurou justificar as ações.

A primeira-ministra neozelandesa classificou o sucedido como um ataque terrorista. Jacinta Ardern disse que é óbvio que os ataques foram planeados durante bastante tempo.

Ardern considerou este "um dos dias mais negros da Nova Zelândia".

Tratou-se, segundo a governante, de "um ato de violência sem precedentes que não tem lugar na Nova Zelândia".

O nível de ameaça à segurança nacional foi entretanto elevado de baixo para alto.

Por sua vez, o homólogo australiano de Jacinta Ardern, Scott Morrison, descreveu Brenton Tarrant como "um terrorista extremista de direita".

O comissário de polícia Mike Bush adiantou que as forças de segurança desativaram uma série de engenhos explosivos improvisados encontrados num veículo após o tiroteio numa das mesquitas.

"Nós"
Em conferência de imprensa, a primeira-ministra disse que muitas pessoas afetadas podem ser migrantes ou refugiadas "que escolheram fazer da Nova Zelândia a sua casa".

"Esta é a sua casa. Elas são nós. A pessoa que perpetuou essa violência contra nós não é", frisou.

A polícia neozelandesa aconselhou as pessoas a não se deslocarem a qualquer mesquita no país e a ficarem em casa.

Os ataques, com início às 0h40 de Lisboa, aconteceram nas mesquitas de Al Noor, em Hagley Park, e de Linwood Masjid.



A equipa de críquete do Bangladesh, que está em Christchurch para defrontar a Nova Zelândia, encontrava-se na mesquita de Hagley Park para a oração diária quando o tiroteio começou, mas conseguiu abandonar o local sem que qualquer dos jogadores tenha sido atingido pelos disparos.

Christchurch é a maior cidade da Ilha Sul da Nova Zelândia e a terceira maior cidade do país, com cerca de 376.700 habitantes. Localiza-se na costa leste da ilha e a norte da península de Banks. É a capital da região de Canterbury.

Tópicos:

Atentado, Extrema-direita, Mesquitas, Nova Zelândia,

A informação mais vista

+ Em Foco

Apresentamos aqui o perfil dos cabeças de lista e cinco prioridades de ação por partido para o Parlamento Europeu.

    Debates, perfis, notícias da campanha. Toda a informação sobre as Eleições Europeias de 2019, que se realizam a 26 de maio.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.