Bolsonaro: candidato racista, defensor da violação e da tortura

| Mundo
Bolsonaro: candidato racista, defensor da violação e da tortura

A ver: Bolsonaro: candidato racista, defensor da violação e da tortura

Jair Bolsonaro, o polémico candidato de extrema direita, conseguiu liderar quase todas as sondagens. Capitão na reserva e deputado federal há quase 30 anos é conhecido pelas declarações polémicas.

Bolsonaro quer introduzir a pena perpétua, a posse de armas e salários mais baixos para as mulheres. Além de racista é assumidamente homofóbico.

Há quem lhe chame Trump Tropical - é igualmente populista e não mede as palavras, seja em que assunto for.

63 anos, cinco filhos, casado pela terceira vez, capitão na reserva e há quase três décadas deputado federal.

Polémico dentro e fora do Congresso, Jair Bolsonaro, é o político mais influente das redes sociais. Defende que as mulheres devem ter salários menores porque engravidam e, violá-las, só se forem bonitas.

Preconiza o combate à corrupção e à violência - defende a prisão perpétua e a castração química.

Não admite ser catalogado como defensor da extrema direita brasileira, mas defende o armamento. Para ele torturar é legítimo e é saudosista dos tempos da ditadura militar.

Durante a campanha usou colete à prova de bala mas não escapou a um atentado com uma faca. Hospitalizado, Bolsonaro deu o seu exemplo, para o agravamento das penas no Brasil.

Racista, critico das minorias e dos descendentes de escravos: não trabalham, diz Bolsonaro, e não servem sequer para procriar.

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

      Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.