Calamidades naturais mataram 33 pessoas desde outubro em Moçambique

| Mundo

As calamidades naturais mataram 33 pessoas e destruíram 2.996 casas nos últimos três meses em Moçambique, divulgou hoje o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades Naturais (INGC).

O porta-voz do INGC, Paulo Tomás, afirmou que 24 das vítimas morreram ao serem atingidas por raios, seis por arrastamento de correntes de água e três pessoas foram vítimas de desabamento de paredes.

As intempéries, que se registam desde outubro, afetaram 14 mil pessoas, acrescentou Paulo Tomás.

No total, foram destruídas 2.373 casas, enquanto 66 postos de energia elétrica foram derrubados.

O porta-voz do INSS assinalou que vai prevalecer o alerta laranja institucional que o Governo moçambicano decretou no final do ano passado, para permitir a mobilização de recursos necessários ao socorro das pessoas afetadas pelas calamidades naturais.

Paulo Tomas adiantou que as províncias de Nampula, Cabo Delgado e Niassa, norte de Moçambique, vão merecer uma maior atenção nos próximos tempos, devido à previsão de queda de chuvas fortes na região.

Tópicos:

INGC, Nampula Delgado,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à Antena 1, o presidente do PS elogia a chamada "geringonça", mas coloca reservas quanto à hipótese de ter BE e PCP num futuro executivo socialista.

    As famílias já pediram o repatriamento, mas o MNE diz que ainda não tem uma solução.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.