Cazaquistão. Rússia enviou mais de 75 aviões com tropas e equipamento militar

por Lusa

O Ministério da Defesa russo indicou hoje que enviou mais de 75 aeronaves de transporte militar com as unidades russas do "contingente de paz" da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC), aliança que reúne seis ex-repúblicas soviéticas.

"O grupo aéreo, composto por mais de 70 aviões Il-76 e cinco An-124 [...], transportou [nas últimas 24 horas] a parte russa do contingente de paz da ORSC para o Cazaquistão", afirmou, num comunicado, o porta-voz do Ministério da Defesa russo, major general Igor Konashenkov.

Segundo Konashenkov, os aviões da Força Aérea Militar Russa também transportaram unidades da Bielorrússia, Tajiquistão, Quirguistão e Arménia, países membros da organização.

"Os soldados de paz russos são compostos por unidades da 45.ª Brigada de Tropas Especiais, da 98.ª Divisão de Paraquedistas e da 31.ª Brigada, todas tropas aerotransportadas russas", pormenorizou, observando que todos os militares russos que participam da missão têm "treino especial e experiência em combate real".

O porta-voz russo adiantou que a missão internacional da OTSC no Cazaquistão será liderada pelo comandante das Tropas Aerotransportadas da Rússia, coronel general Andrei Serdiukov.

Konashenkov indicou que os militares russos que chegaram ao Cazaquistão "assumiram imediatamente o cumprimento das suas missões".

"Para já, o aeroporto de Almaty está totalmente sob controlo das nossas forças e da polícia do Cazaquistão", especificou, sublinhando que os soldados russos também garantem a segurança do Consulado Geral da Rússia na cidade, capital económica do país, e em outras instalações importantes.

Quarta-feira, o Presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, pediu o apoio da OTSC face ao agravamento da situação no maior país da Ásia Central.

O Cazaquistão está, desde domingo, envolto em tumultos após manifestações de protesto contra o aumento dos preços do gás liquefeito, um dos combustíveis mais utilizados nos transportes do país, de 60 tengues por litro (0,12 euros) para o dobro, 120 tengues (0,24 euros).

Hoje, Tokayev autorizou o uso de força letal contra manifestantes sem aviso prévio.

"Dei ordem aos órgãos da polícia e ao Exército para disparar a matar sem aviso prévio" disse Tokayev num discurso televisivo, acrescentando que os "terroristas continuam a danificar bens e a usar armas contra os cidadãos".

Segundo um comunicado divulgado hoje pelo Ministério do Interior cazaque, as forças de segurança locais mataram 26 pessoas na operação "antiterrorista" que estão a realizar, sobretudo em Almaty, para pôr fim aos protestos violentos que abalam o país.

No documento, o Ministério do Interior refere que foram detidos "mais de 3.000 criminosos" e que 18 outros ficaram feridos.

As autoridades reconheceram anteriormente a morte de pelo menos 18 agentes da polícia, dois dos quais foram encontrados decapitados, de acordo com a versão oficial.

Tokayev, por outro lado, considerou "absurdos" os apelos, especialmente do estrangeiro, para negociar com os manifestantes com vista a uma resolução pacífica da crise.

"Que tipo de negociações se pode ter com os criminosos, com os assassinos? Temos estado a lidar com bandidos armados e treinados. [...] Têm de ser destruídos e isso será feito em breve", disse, indicando que "20.000 bandidos" atacaram Almaty, onde os tumultos foram os mais caóticos e violentos.

Tinham "um plano claro de ataque, ações bem coordenadas e um elevado grau de prontidão de combate", prosseguiu, referindo-se a "sabotadores especializados".

Tokayev acusou "os meios de comunicação social livres e algumas pessoas no estrangeiro" de estarem a "desempenhar o papel de instigadores" desta crise.

pub