Cheias em Díli provocaram pelo menos dois mortos e três feridos

por Lusa
António Dasiparu - EPA

As cheias que na sexta-feira assolaram a capital timorense, especialmente no centro e leste da cidade, causaram pelo menos dois mortos e três feridos, informou hoje o gabinete do primeiro-ministro, Taur Matan Ruak.

Numa curta nota divulgada na página oficial no Facebook, o gabinete explica que as fortes cheias deixaram quase 200 pessoas desalojadas, que foram acolhidos em vários locais provisórios na cidade.

Cerca de 70 pessoas estão na Igreja de Bidau Mota Klaran, mais de 80 no Centro de Operação de Desastres de Bemori e mais de 40 estão na Secretaria de Estado da Proteção Civil.

As cheias afetaram vários bairros dessas zonas da cidade, nomeadamente Becora, Becusi, Bidau, Bemori, Caicoli e Maloa.

Taur Matan Ruak orientou o ministro das Obras Públicas e o secretário de Estado da Proteção Civil para avaliarem a situação no terreno e para organizar o processo de apoio de emergência às vítimas.

Uma das infraestruturas mais afetadas foi a Escola Portuguesa de Díli, perto do cemitério de Santa Cruz, onde uma torrente de água forçou centenas de professores e alunos a refugiar-se no primeiro andar da escola.
pub