Confrontos entre manifestantes e polícia marcam protestos em Seattle e Portland (EUA)

por Lusa
Caitlin Ochs - Reuters

A polícia usou no sábado gás pimenta contra manifestantes em Seattle, nos Estados Unidos (EUA), numa noite marcada também por confrontos em Portland, durante novos protestos contra o racismo.

Segundo a agência de notícias France-Presse (AFP), em Seattle, no estado de Washington, a noite de sábado foi particularmente agitada, com a Polícia a responder com gás pimenta a uma tentativa dos manifestantes de atear fogo a um centro de detenção juvenil.

Alguns dos manifestantes tentaram proteger-se do gás pimenta com guarda-chuvas, segundo um repórter da AFP no local, que também testemunhou detonações.

De acordo com o jornal Seattle Times, 16 pessoas foram detidas.

Em Portland, epicentro dos protestos, confrontos entre manifestantes e agentes da polícia voltaram a marcar a noite de sexta para sábado naquela localidade do estado de Oregon, que tem sido palco de manifestações contra o racismo nos últimos dois meses.

Os manifestantes tentaram derrubar uma barreira em frente ao tribunal federal, de acordo com a AFP.

As forças de segurança também responderam com gás lacrimogéneo, dispersando a multidão.

Uma vaga de manifestações tem decorrido nas ruas de Portland, no estado de Oregon, desde a morte do afroamericano George Floyd às mãos da polícia, em maio, em Minneapolis, tal como sucedeu no resto do país e no mundo.

A situação agravou-se desde que o Presidente dos Estados Unidos, o republicano Donald Trump, decidiu enviar agentes federais, no início do mês, para conter a agitação, medida que levou a protestos dos líderes democratas do estado de Oregon.

Em numerosos vídeos divulgados nas redes sociais, os agentes, vestidos com uniformes paramilitares, são vistos a deter manifestantes em carros não identificados, alimentando a ira popular e os protestos.

Na sexta-feira, um juiz negou o pedido feito pela procuradora-geral de Oregon, Ellen Rosenblum, para, "com efeito imediato, impedir as autoridades federais de deter ilegalmente os cidadãos" daquele estado.

Rosenblum processou o Governo liderado por Donald Trump, alegando que os agentes federais prenderam manifestantes sem causa provável, os levaram em carros não identificados e usaram força excessiva.

O Departamento de Justiça dos EUA anunciou na quarta-feira que vai conduzir uma investigação sobre a conduta dos agentes federais que responderam a distúrbios em Portland e Washington.

pub